Configurar processos

ccppmop158
HID_admin_configure_processes
Os processos automatizam etapas repetitivas que seriam executadas manualmente por meio da interface de usuário. Para reproduzir o comportamento real, um processo personifica um usuário durante a execução das etapas. Cada processo define seus objetos, etapas, ações, grupos de etapas e uniões.
Um processo inclui uma série de etapas que terminam com um resultado específico. Todos os processos têm uma etapa de início e uma de conclusão. Cada etapa pode executar uma ou mais ações. Processos utilizam pré-condições e pós-condições para conectar suas etapas. Você pode criar processos para atuar em qualquer tipo de objeto.
2
Exemplo de processo: aprovação automática condicional
O
Clarity PPM
inclui uma amostra do processo denominada
Aprovação automática condicional
. Esse processo envia uma notificação ao gerente de projeto quando um recurso envia sua planilha de horas. O gerente de projeto deve ter o direito de acesso
Recurso - Aprovar tempo
da instância para o recurso. Esse processo é iniciado automaticamente quando um recurso envia sua planilha de horas.
Por padrão, esse processo de amostra não está ativo. Você deve ativá-la manualmente. Você também pode personalizar essa amostra com mais regras de negócios e aprovações.
Processos e tipos de objetos
Um processo pode trabalhar com os seguintes tipos de objeto:
  • Principal.
    Você pode adicionar somente um objeto principal a um processo, mas é possível adicionar vários objetos vinculados. Um projeto é um exemplo de objeto principal.
  • Vinculado.
    Objetos vinculados, que criam links nos produto, são aqueles que fazem referência a atributos específicos de um objeto principal. Use os objetos vinculados para acessar os dados entre dois objetos ao criar regras ou mensagens do item de ação para as condições e ações da etapa. Alguns exemplos de objetos vinculados são pesquisas de objeto, objetos pai ou objetos avôs. Antes que seja possível adicionar um objeto vinculado a um processo, associe um objeto principal ao objeto vinculado no Studio. Em seguida, enquanto estiver definindo um processo, você poderá acessar uma lista de objetos vinculados disponíveis para um objeto principal. Depois de adicionar um objeto vinculado à lista de objetos, as ações e condições manuais e do sistema poderão usar os atributos de objeto vinculado nas etapas.
Ao adicionar objetos vinculados a um objeto principal, você não poderá selecionar os atributos MVL (Multi-Valued Lookup - Pesquisa de vários valores). Além disso, é possível vincular um objeto vinculado apenas ao objeto principal ou a um objeto vinculado de nível superior. Quando o objeto principal é excluído, todos os objetos vinculados associados a ele também são excluídos.
  • Implícito.
    Um objeto implícito é um tipo de objeto vinculado que é adicionado à lista de processos automaticamente devido a um relacionamento direto com o objeto principal. Outras partes da definição de processo fazem referência a um objeto implícito, como quando se usa o Mapeamento do objeto ou as APIs de conversão de objetos. Você não pode adicionar ou excluir um objeto implícito.
Diagramas de fluxo de processos
Os diagramas de fluxo de processos mostram cada etapa de um processo e seu relacionamento com as etapas anteriores e posteriores. Se subprocessos estiverem incluídos, o processo iniciado será exibido hierarquicamente e os subprocessos serão exibidos com seus modos de conclusão.
  • Você pode expandir a hierarquia para exibir informações sobre um subprocesso específico.
  • Clique em um subprocesso no diagrama de fluxo para ir até a página de propriedades.
  • Se um erro ou aviso for exibido, ele será propagado para o processo de nível superior (mestre) para que você possa investigar e solucionar o subprocesso.
A imagem a seguir mostra uma amostra do diagrama de fluxo de processo para o processo de Aprovação do gerente de projetos:
Imagem mostrando uma amostra do diagrama de fluxo de processo para o processo de Aprovação do gerente de projetos.
Não remova a fonte MS Gothic do sistema operacional. Os diagramas de fluxo de processo no Clarity PPM clássico exigem essa fonte do sistema.
No Linux, você pode encontrar o seguinte erro ao clicar em um diagrama de fluxo de processo:
Unable to process request - Server or Network error.
Parece que isso ocorre quando a fonte Gothic não está instalada. Como uma solução alternativa fornecida "como está", sem garantias, você
poderia
instalar as fontes de sistema tradicionais do Windows no Linux. Consulte https://help.accusoft.com.
Todos os diagramas de fluxo de processo têm as seguintes características:
  • Uma descrição do elemento será exibida quando você passar o mouse sobre um elemento.
  • Um sinal de adição com as bordas quadradas identifica um subprocesso.
  • Todos os itens de ação são incluídos entre colchetes angulares ( < > ).
  • Todos os subprocessos são incluídos entre colchetes ([ ]).
  • Todas as etapas são exibidas em bege e as ações dentro dessas etapas são exibidas em vermelho, amarelo ou verde, dependendo de seu status.
    • Quando uma etapa é executada, as caixas de item de ação são vermelhas, amarelas ou verdes e o espaço ao redor das caixas de item de ação é bege.
    • Quando uma etapa é concluída com êxito, as caixas do item de ação ficam marrom-claro e o espaço ao redor das caixas do item de ação fica verde.
    • Quando clicar em uma etapa, você verá as propriedades da etapa.
Quando você detalhar a partir de um diagrama de fluxo de processo em tempo de execução, a instância do processo em tempo de execução será exibida. Se as definições do diagrama de fluxo de processo forem configuradas para mostrar as ações, um detalhamento da ação levará você à página da ação. Quando um processo está ativo, as cores a seguir indicam o status de cada etapa:
  • Verde
    : concluído
  • Amarelo
    : no processo
  • Vermelho
    : há um problema
  • Azul:
    pronto para iniciar, mas aguardando uma ação anterior
  • Branco
    : não iniciado ainda
Configurar as definições de diagrama do fluxo de processo
Ao definir as configurações do diagrama de fluxo de processos, as novas configurações serão aplicadas a todos os processos disponíveis. A qualquer momento você poderá clicar no botão Restaurar padrões para substituir suas alterações e restaurar as configurações padrão.
Siga estas etapas:
  1. Abra um processo e clique em Diagrama de fluxo de processos.
  2. No canto superior direito, clique em Definições.
  3. Especifique as definições do diagrama de fluxo do processo.
  4. Clique em Salvar e continuar.
Funções do objeto do processo
Quando você cria uma ação de etapa manual, é possível selecionar funções de objeto, funções de sistema, grupos, recursos ou campos de recurso. Essa ação da etapa ajuda a enviar notificações sobre os itens de ação aos quais a função do objeto está atribuída. Uma ação da etapa tem nenhuma, uma ou muitas funções de objeto associadas ao processo. A lista de funções depende do objeto associado. Se um processo tiver mais de um objeto associado, é possível selecionar as funções do objeto para cada um deles.
Funções do objeto Projeto
As seguintes funções estão disponíveis para o objeto Projeto:
  • Todos os gerentes filhos
  • Todos os gerentes pais
  • Gerentes filhos imediatos
  • Gerentes pais imediatos
  • Gerente
  • Participantes
  • Equipe
Objetos e partições do processo
Você pode atribuir um objeto a um modelo de partição no Studio. Se esse objeto for usado em uma nova definição de processo, você poderá configurar uma partição e um modo de associação de partição no objeto. As partições determinam quais definições de processo estão disponíveis para quais usuários da interface. Caso tenha definido um modelo de partição para um objeto no Studio, você poderá executar as seguintes ações durante a criação de um processo:
  • Não selecione nenhuma partição, ou selecione diferentes partições, para um objeto principal. Se tiver atribuído um objeto principal a um modelo de partição, você poderá selecionar uma partição e um modo de associação de partição para esse objeto.
  • Não selecione nenhuma partição, ou selecione diferentes partições, para um objeto vinculado.
  • Adicione um objeto vinculado ao processo por meio de relacionamento de pai ou avô com o objeto principal. A associação com o processo exibe a partição do objeto vinculado como sendo a partição do objeto principal.
    Se um objeto implícito for anexado automaticamente ao processo, o produto determinará sua partição. Se um objeto implícito for anexado por meio da conversão de objeto, a API de conversão ou o mapeamento do objeto determinará a partição do objeto implícito. Não é possível configurar o modo de associação da partição de um objeto vinculado ou implícito.
  • Use somente os atributos de objeto visíveis da partição selecionada.
  • Use o modo de associação de partição para configurar as condições iniciais do processo. Para as condições iniciais com base em objetos principais, os atributos disponíveis seguem o modo de partição e de associação definido no objeto principal. As condições iniciais podem tomar como base objetos vinculados ou implícitos. Nesse caso, apenas esses atributos existem nos objetos vinculados e implícitos que correspondem à partição do objeto principal.
  • Restringir as definições do processo disponíveis para um usuário específico com base na partição e o modo de associação da partição da definição do processo. Por exemplo, suponha que você crie o Processo de aprovação do projeto Califórnia com o projeto e as informações de partição a seguir. O processo estará acessível apenas para os usuários na partição Califórnia destas instâncias do projeto:
    • Partição: Califórnia
    • Modo de associação da partição: apenas partição
    Quando os usuários abrirem um projeto na partição Califórnia, eles verão apenas os processos em que o projeto for um objeto principal da partição. Se o modo de associação for Partição e descendentes, o processo ficará disponível na partição Califórnia e nas partições descendentes de Califórnia.
  • Altere a partição e modo de associação da partição de um objeto em um processo ativo. Você poderá validar e reativar o processo.
Funções do processo
Você pode atribuir direitos de acesso aos processos por meio dos recursos ou do objeto que eles suportam. As funções a seguir geralmente trabalham com processos:
  • Administradores do processo.
    Criam, copiam, excluem, modificam e monitoram ou mantêm os processos que foram iniciados por outros usuários. Os administradores de processo precisam do direito de acesso
    Processo - Gerenciar - Tudo
    .
  • Criadores do processo.
    Criam processos para objetos aos quais têm acesso. Iniciam, copiam, modificam ou excluem processos que eles mesmo criaram.
  • Iniciadores do processo.
    Iniciam os processos nos objetos aos quais têm acesso. Modificam ou corrigem erros nos processos que eles iniciaram.
  • Editores do processo.
    Modificam os processos dos objetos aos quais têm acesso. No entanto, não podem criar, iniciar, copiar ou excluir processos.
  • Participantes do processo.
    Não têm direitos de acesso específicos aos processos. Em vez disso, eles participam de um processo existente, recebendo e agindo em relação aos itens de ação.
Grupos de processos
Um grupo é um conjunto de etapas com os seguintes requisitos:
  • Um requisito definitivo que deve ser concluído antes de o processo poder avançar para a próxima etapa.
  • Um requisito temporário não impede o processo de avançar para a próxima etapa.
Visualizar processos disponíveis
Nas listas de processos disponíveis e processos iniciados,
os processos modelo que são copiados de um modelo de projeto são vinculados ao processo modelo em uma estrutura hierárquica. Os processos que são copiados do modelo são mostrados como filhos subordinados do processo de modelo mestre.
Siga estas etapas:
  1. Abra Administração e, em Administração de dados, clique em Processos.
    A
    lista de processos disponíveis é exibida, mostrando os processos que você criou e que estão disponíveis globalmente.
  2. Clique em Iniciado
    para exibir a lista de instâncias do processo.
  3. (Opcional) Filtre a lista de processos clicando no nome de um campo.
    Você pode usar caracteres curinga na filtragem. As entradas não diferenciam maiúsculas de minúsculas. Por exemplo, Acme, acme e ACME retornam os mesmos resultados. Preencha as informações solicitadas. Os campos a seguir precisam de explicação:
  • Objeto principal
    Especifica o tipo de objeto principal do processo.
  • Instâncias iniciadas
    Indica se você deseja exibir os processos que já estão em execução.
    Valores
    : Tudo, Sim ou Não
Monitorar uma instância de processo
Para exibir os comentários da instância de processo na página de processos iniciados, clique no ícone Comentários ao lado do processo.
Siga estas etapas:
  1. Abra Administração e, em Administração de dados, clique em Processos.
  2. Clique em Iniciado.
  3. Clique na ID de processo para monitorar.
  4. Clique no nome da etapa para visualizar os seus detalhes.
Cancelar uma instância de processo
Inicie uma instância de processo para poder cancelá-la. Ao cancelar uma instância de processo, todas as ações dessa instância deixarão de ficar ativas. Elas serão removidas de cada participante do processo. Quando você reinicia o processo, uma nova instância do processo é criada. O processo começa a partir da etapa de início (não da etapa que estava ativa quando a instância do processo foi cancelada).
Siga estas etapas:
  1. Na página Processos iniciados, selecione a instância do processo.
  2. Clique em Cancelar processo.
Cancelar uma instância de subprocesso
Durante o tempo de execução, é possível visualizar as instâncias do subprocesso em linhas abaixo da instância do processo principal. Cada instância do subprocesso é representada por um ícone e mostra seu estado. Também é possível visualizar a definição do processo, o fluxo, o status e a etapa atual em andamento.
Você pode anular instâncias de subprocessos independentes de maneira explícita. Quando você cancela um processo principal, o aplicativo também cancela quaisquer instâncias do subprocesso síncronas ou assíncronas.
Ativar um processo
Antes que você possa iniciar processo, ele deve ser ativado.
Siga estas etapas:
  1. Abra o processo a ser ativado.
  2. Clique em Salvar.
Executar um processo
Os processos que você pode exibir, iniciar e filtrar se baseiam na partição da instância do objeto. Por exemplo, a partição de instância do objeto está dentro do intervalo de partições do objeto principal, que é definido pela sua partição e modo de associação da partição. Então, você poderá visualizar e iniciar processos com base na instância do objeto. Quando você inicia um processo, uma instância de processo é criada. Todas as instâncias de processo às quais você tem acesso e todos os processos são exibidos.
É possível iniciar processos manualmente ou automaticamente (orientados por evento). Antes de iniciar um processo manualmente, verifique estas informações:
  • Você possui o direito de acesso Processo - Gerenciar ou Processo - Inicializar para o processo específico.
  • Você possui direitos de acesso explícitos para o objeto específico.
  • As ações, pós-condições e pré-condições estão especificadas corretamente.
  • As etapas estão conectadas e o status definido como Validado e Ativo.
Iniciar um processo
Siga estas etapas:
  1. Abra a Página inicial e, em Pessoal, clique em Organizador.
  2. Abra o menu Processos e clique em Disponível.
  3. Selecione o processo e clique em Iniciar.
Modificar um processo
Siga estas etapas:
  1. Abra o processo.
  2. Modifique o processo da seguinte maneira:
    • Edite as propriedades do processo.
    • Adicione, edite ou exclua os objetos principais ou vinculados.
    • Edite as opções de início.
    • Edite as etapas renomeando, excluindo, adicionando condições ou alterando ações.
    • Adicione, remova, reorganize ou renomeie grupos.
  3. Salve as alterações.
  4. Valide o processo.
  • Não é possível editar um processo se ele estiver em execução ou possuir o status
    Ativo
    .
  • Para modificar um processo, o status do processo deve ser
    Rascunho
    ou
    Em espera
    . Para atualizar um processo com o conteúdo de um complemento ou do pacote de Studio, defina o processo como
    Em espera
    . As instâncias em execução não são afetadas. A definição do processo será atualizada quando o conteúdo do complemento for aplicado ao sistema de destino. Em seguida, defina o processo atualizado de volta para
    Ativo
    .
  • Se um processo não estiver sendo executado no momento, você poderá exclui-lo. Se o processo estiver em execução, cancele-o antes de exclui-lo.
Copiar um processo
Você poderá copiar processos mesmo quando o modo do processo estiver definido como
Ativo
. Se você tiver um processo existente, abra-o e salve uma cópia para criar outro processo.
Siga estas etapas:
  1. Abra o processo que deseja copiar.
  2. Clique em Salvar como.
  3. Preencha os seguintes campos:
    • Nome do processo
      Define o nome do novo processo.
    • ID do processo
      Define a ID exclusiva do processo.
    • Origem do conteúdo
      Especifica a origem do conteúdo do processo.
    • Descrição
      Define uma descrição resumida do processo.
  4. Clique em Salvar e continuar.
Ações da etapa do processo
Para executar um processo do início ao fim, defina uma série de etapas. Uma ação de etapa é uma tarefa que um processo executa. Essas etapas incluem:
  • Uma etapa inicial (obrigatório)
  • Uma ou mais etapas intermediárias
  • Uma etapa de conclusão (obrigatório).
Cada etapa pode consistir em várias ações.
Os seguintes representantes podem executar uma ação:
  • Um destinatário (ação manual)
  • O sistema (ação do sistema)
  • Uma rotina
  • Um script
  • Um subprocesso
Você pode adicionar ações ao criar um processo ou pode adicioná-las a processos existentes. Use a seção Ações na página de detalhes da etapa para criar ações de etapa.
Ações de etapa podem ser usadas de diversas maneiras.
  • Notificações e aprovações.
    Você pode usar uma ação da etapa para enviar notificações ou receber aprovações. Por exemplo, você pode usar as ações do sistema para chamar funções de API, definir atributos e bloquear atributos. Ao criar um processo, você pode fornecer parâmetros para uma ação ou API do sistema de valores e, em seguida, adicioná-los em etapas do processo. Para usar uma ação do sistema em um processo, adicione uma etapa ao processo e, em seguida, forneça os parâmetros de ação do sistema para essa etapa.
  • Etapas sem ações.
    A etapa não pode ter ações. Uma ação em uma etapa pode depender dos resultados de ações anteriores na mesma etapa. Por exemplo, nas duas etapas a seguir, as ações são independentes umas das outras:
    • Ação A1 (ação manual): enviar o item de ação Aprovar plano de custo.
    • Ação A2 (ação do sistema): definir o status do projeto como Aberto.
  • Ações encadeadas.
    Ações podem também ser encadeadas para que a execução de uma ação dependa da conclusão de outras. Os resultados de uma ação podem ser os parâmetros de entrada da próxima ação.
Exemplo: criar um projeto usando um modelo de processo
Crie um processo de modelo de projeto para criar um projeto com base em um modelo específico. Adicione as seguintes ações de sistema ao modelo de processo para copiar a EAP e a equipe do modelo para o novo projeto:
  • Copiar EAP do modelo. A ação do sistema copia a tarefa da EAP e qualquer equipe alocada à tarefa.
  • Copiar equipe alocada do modelo. Copia todas as equipes alocadas do modelo (independentemente de os integrantes da equipe alocada serem atribuídos a tarefas da EAP).
Para ações dependentes, mantenha as dependências após a exclusão ou reordenação das ações.
Tipos de ação da etapa do processo
Um processo pode ter os seguintes tipos de ação de etapa:
  • Ação manual.
    Envia itens de ação aos recursos, grupos, funções ou perfis sobre os quais devem ter efeito para que o processo continue. Com ações manuais, é possível associar as variáveis ao assunto e ao corpo das mensagens do item de ação. Essas ações fornecem aos usuários e criadores de processos informações de contexto relevantes sobre os itens de ação a serem analisados. Elas também fornecem flexibilidade na definição de contexto em um item de ação. As ações manuais usam informações de atributo de vários objetos e as incorporam no item de ação.
  • Ação do sistema.
    Todas essas ações do sistema estão disponíveis para todos os objetos do processo (inclusive objetos principais, vinculados, implícitos e itens de ação):
    • Definidores de atributos. Por exemplo, você pode definir o benefício orçado, o gerente do departamento e assim por diante.
    • Bloquear ou desbloquear atributos selecionados ou todos os atributos, editá-los ou torná-los somente exibição.
    • Operações do sistema. Por exemplo, você pode copiar um plano financeiro ou uma equipe alocada de um modelo e assim por diante.
    • A conversão do objeto que usa um código de mapeamento para mapear os atributos do objeto de origem para o objeto de destino.
  • Executar rotina.
    Esse tipo executa rotinas em segundo plano de forma programada. As rotinas podem ser executada no modo síncrono ou assíncrono. Se você chamar uma rotina SQL a partir de um processo, os seguintes parâmetros obrigatórios devem ser passados na ordem:
    P_PROCESS_INSTANCE_ID, P_STEP_ACTION_ID, P_STEP_INSTANCE_ID
  • Script personalizado.
    É executado para importar ou exportar dados de um sistema externo. Os scripts personalizados podem ser executados no modo síncrono ou assíncrono.
  • Subprocesso.
    Os subprocessos são chamados como processos incorporados no contexto do processo atual. Ao incorporar subprocessos em um processo, você pode criar modelos de fluxos de trabalho complexos. Ao adicionar um subprocesso como um item de ação, você só pode adicionar subprocessos ativos que sejam principais, vinculados ou implícitos ao processo principal. Os subprocessos precisam da mesma partição que o objeto principal. Um subprocesso não segue o modo de associação de partição que está definido no objeto principal do processo.
Você poderá adicionar ações de sistema e manuais a um processo somente se definir um objeto principal.
Divisões e uniões do fluxo de processo
Um padrão de fluxo de processo, que é composto de divisões ou uniões, é uma condição que é atribuída a uma ação. Essas divisões ou uniões determinam o fluxo do processo. Uma
divisão
ramifica o processamento em várias direções. Uma
união
consolida o fluxo do processo.
Divisões do fluxo de processo
Uma divisão de pós-condição é onde o resultado de um processo é usado para determinar o fluxo de processo. Há suporte a quatro tipos de divisão:
  • Divisão em série
    . Uma divisão em série é uma etapa ativada apenas quando outra etapa no mesmo processo é concluída. Por exemplo:
    • Uma etapa só envia a cobrança após a conclusão da etapa que envia o pedido.
    • Uma etapa só adiciona milhas aéreas após a conclusão da etapa que reserva o voo.
  • Divisão paralela
    . Uma divisão paralela é um evento do fluxo de trabalho em que um segmento se divide em várias etapas. As etapas podem ser executadas em paralelo ou simultaneamente. Por exemplo, uma etapa de pagamento pode executar três etapas:
    • Enviar um pedido.
    • Envie ao cliente uma notificação de que o pedido foi enviado.
    • Ajuste o inventário.
A imagem a seguir mostra como uma divisão é usada em um fluxo de processo:
Imagem mostrando como uma divisão é usada em um fluxo de processo
Imagem mostrando como uma divisão é usada em um fluxo de processo
  • Divisão de ponto de decisão
    . Uma opção exclusiva (divisão XOR) é um ponto do fluxo de trabalho em que uma das várias ramificações é executada com base nos dados de decisão ou de controle. Por exemplo, uma etapa de processamento de cartão de crédito pode ser ramificada em uma das duas etapas a seguir:
    • Se uma transação de cartão de crédito for aprovada, envie o pedido.
    • Se uma transação de cartão de crédito for negada, informe ao cliente.
    Com as divisões de opção exclusiva, o sistema avalia as pós-condições na ordem listada até que uma condição seja avaliada como verdadeira. A etapa correspondente ativa e ignora todas as outras condições e etapas restantes. A opção exclusiva não causa paralelismo, pois apenas uma ramificação é ativada.
  • Divisão de múltipla escolha
    . Uma divisão de múltipla escolha (divisão OR) descreve um ponto do fluxo de trabalho em que o sistema pode selecionar dentre várias ramificações, que se baseiam nos dados de decisão ou controle. Por exemplo, após a execução da atividade Avaliação de danos, as atividades Entrar em contato com os bombeiros e Entrar em contato com a seguradora poderão ser executadas. Com esse tipo de divisão, mais de uma condição pode ser verdadeira, levando à execução de mais de uma ação. O sistema avalia todas as pós-condições na ordem listada. Um segmento de execução pode ser iniciado para qualquer condição avaliada como verdadeira.
Uniões do fluxo de processo
Uma união descreve a mesclagem de duas ou mais etapas em um único fluxo de processo. A tabela a seguir apresenta um resumo de padrões de correspondência entre divisões e uniões:
Tipo de divisão
Tipo de união correspondente
Sequência
Nenhuma união necessária
Paralela
Reunião (E)
Divisão de opção exclusiva
Unir (XOR)
Múltipla escolha (OU)
Aguardar e unir
Primeiro na linha
Vários segmentos (várias mesclagens)
Instrução Reunião (E)
Uma reunião (uma instrução E) é um tipo de união simples. No ponto em que os segmentos se unem, o fluxo é interrompido até que todos os segmentos paralelos sejam concluídos. Em seguida, um único segmento de execução tem continuidade. Veja a seguir alguns exemplos de atividades de reunião:
  • A etapa Enviar tickets e Receber o pagamento é concluída, então, a etapa Arquivar é executada.
  • As etapas Verificação da política e Avaliação dos danos estão concluídas, então, a etapa Avaliação da indenização de sinistro é executada.
A imagem a seguir mostra como um tipo de união Reunião é usado em um fluxo de processo.
Imagem mostrando como um tipo de união Reunião é usado em um fluxo de processo
Imagem mostrando como um tipo de união Reunião é usado em um fluxo de processo
Unir (XOR)
Mesclagem é o tipo de união em que vários processos convergem para um único segmento. No ponto em que os segmentos se unem, todos os segmento ativos são sincronizados. Se apenas um caminho surgir, as ramificações alternativas serão convergidas novamente sem sincronização. Após a sincronização, a próxima etapa será ativada e um único segmento de execução continuará. A principal consideração é quando sincronizar e quando mesclar. O momento de ativação do segmento é importante. Em uma união, quando uma ramificação é ativada, ela não pode ser reativada enquanto a união aguarda a conclusão de outras ramificações. Por exemplo, após a conclusão das etapas para entrar em contato com o corpo de bombeiros e com a empresa de seguros, execute e salve o relatório.
A imagem a seguir mostra como um tipo de união Unir é usado em um fluxo de processo.
Imagem mostrando como o tipo de união da opção Unir é usado em um fluxo de processo
Imagem mostrando como o tipo de união da opção Unir é usado em um fluxo de processo
Aguardar e unir
Aguardar e unir descreve uma união em que duas ou mais ramificações alternativas convergem sem sincronizar. Sinônimos para a união simples incluem a união XOR, a união assíncrona e a mesclagem. O padrão de aguardar e unir pressupõe que ramificações alternativas não serão executadas em paralelo. O tipo de processo aguardar e unir consiste em várias ramificações (ao contrário de vários segmentos) que transitam em uma única etapa. Somente uma das muitas ramificações é ativada. Por exemplo, as etapas Pagar por danos ou Entrar em contato com o cliente são executadas, em seguida, a etapa Arquivar sinistro é executada. Como alternativa, o carro será entregue ao cliente somente mediante pagamento ou concessão de crédito.
A imagem a seguir mostra como um tipo de união Aguardar e unir é usado em um fluxo de processo.
Imagem mostrando como o tipo de união da opção Aguardar e unir é usado em um fluxo de processo
Imagem mostrando como o tipo de união da opção Aguardar e unir é usado em um fluxo de processo
Vários segmentos
Vários segmentos descrevem uma união em que duas ou mais ramificações convergem novamente sem sincronização. Se mais de uma ramificação for ativada, possivelmente ao mesmo tempo, a etapa seguinte à união será iniciada para todas as ativações de cada ramificação de entrada. A próxima etapa é iniciada quando uma ramificação de entrada é concluída. Então, todas as outras ramificações que atingirem o ponto de união iniciarão uma nova cópia da próxima etapa. Você pode usar uma união de vários segmentos quando duas ou mais ramificações paralelas compartilharem a mesma etapa final (ou seja, nenhuma etapa será replicada).
A imagem a seguir mostra como um tipo de união Vários segmentos é usado em um fluxo de processo.
Imagem mostrando como o tipo de união da opção Vários segmentos é usado em um fluxo de processo
Imagem mostrando como o tipo de união da opção Vários segmentos é usado em um fluxo de processo
Primeiro na linha
Uma união Primeiro na linha aguarda até que uma das várias ramificações seja concluída antes de iniciar uma etapa subsequente. Um discriminador aguarda até que as ramificações restantes sejam concluídas, mas ignora-as. Quando a execução de todas as ramificações de entrada começar, o discriminador se redefinirá para que seja acionado novamente mais tarde. Por exemplo, para melhorar o tempo de resposta da consulta, você pode enviar uma pesquisa complexa para dois bancos de dados. A primeira pesquisa que gerar um resultado disparará o fluxo de trabalho para continuar. O segundo resultado é ignorado.
Criar um processo
Considere o que você deseja realizar e como fazer isso. Monitore os processos de negócios e aplique aprimoramentos iterativos para simplificar as operações. As etapas a seguir fornecem uma visão geral das tarefas realizadas para definir e executar processos:
  1. Defina as propriedades do processo.
  2. (Opcional) Adicionar objetos ao processo.
  3. Defina as ações da etapa.
  4. Crie o escalonamento no nível da etapa.
  5. (Opcional) Crie grupos de processos.
  6. Valide os processos e etapas.
  7. Ative os processos.
  8. Execute os processos.
Vídeo: Como criar um fluxo de trabalho de processo
O vídeo de terceiros a seguir foi fornecido pela Rego Consulting. A CA Technologies fornece esse vídeo "COMO ESTÁ" e sem garantias.

Para reproduzir esse vídeo em tela cheia, clique no logotipo do YouTube à direita das Configurações, na parte inferior do vídeo.
Vídeo: Como criar uma implantação, cronograma e exclusão de processo
O vídeo de terceiros a seguir foi fornecido pela Rego Consulting. A CA Technologies fornece esse vídeo "COMO ESTÁ" e sem garantias.

Para reproduzir esse vídeo em tela cheia, clique no logotipo do YouTube à direita das Configurações, na parte inferior do vídeo.
Definir as propriedades do processo
Siga estas etapas:
  1. Abra Administração e, em Administração de dados, clique em Processos.
  2. Clique em Novo.
  3. Preencha as informações solicitadas. Os campos a seguir precisam de explicação:
    • Modo
      Exibe o modo atual do processo.
      Valores:
      • Ativo
      • Draft
      • Em espera
  4. Preencha os seguintes campos na seção Organograma:
    • Departamento
      Define o departamento financeiro e a entidade que está associada ao processo. O departamento deve pertencer à mesma entidade que o local.
    • Local
      Define o local do departamento financeiro que está associado ao processo. O local deve pertencer à mesma entidade que o departamento.
  5. Salve as alterações.
Adicionar objetos a um processo
Nesta etapa, você pode adicionar objetos a um processo. Essa etapa é opcional. Adicione objetos ao seu processo somente se você definir ações manuais, ações do sistema ou subprocessos nas etapas do processo. Se você adicionar um cronograma ao seu processo, para executá-lo como uma rotina ou script personalizado, não atribua um processo a um objeto. Você pode adicionar os seguintes tipos de objetos a um processo:
  • Um objeto principal
  • Um ou mais objetos vinculados
Se adicionar o projeto como objeto principal no seu processo, você também poderá selecionar um modelo a ser associado ao processo do projeto. Além disso, você pode especificar uma chave (Chave modelo) que fornecerá uma referência ao modelo usado no processo.
Você pode adicionar manualmente um objeto vinculado a um processo. Às vezes, o sistema o adiciona automaticamente. Crie o objeto vinculado no Studio como um atributo do objeto principal usando um tipo de dados. O objeto estará, então, disponível para ser adicionado aos processos. Por exemplo, para atribuir uma pesquisa de aplicativo a cada instância de um objeto, crie um atributo que seja denominado Aplicativo no objeto original. Use essas informações como referência:
  • Nome do atributo = Aplicativo
    Depois de criar o atributo Aplicativo, adicione-o às exibições Criar e editar do objeto.
  • ID do atributo: aplicativo
  • Tipo de dados: pesquisa
  • Pesquisa: procura de aplicativo
Siga estas etapas:
  1. Com o processo aberto, clique em Objetos.
  2. Clique em Adicionar objeto principal.
  3. Preencha as informações solicitadas. Os campos a seguir precisam de explicação:
    • Tipo de objeto
      Define o tipo de objeto associado ao processo. Se o objeto estiver associado um modelo de partição, selecione uma partição e um modo de associação de partição para o objeto.
    • Modelo associado
      Define o modelo associado ao objeto. Esse campo é exibido se o objeto principal for projeto.
    • Disponível para início por demanda
      Especifica se é possível iniciar o processo por demanda em uma instância do objeto.
      Valores:
      • Sim.
        Os usuários podem iniciar o processo por demanda na guia Processos de uma instância de objeto. O processo está incluído na lista de subprocessos disponíveis e pode ser invocado em tempo de execução como um subprocesso. Se estiver definido como início automático, o processo será iniciado automaticamente quando a condição de início (se houver) for atendida.
      • Não.
        Os usuários não podem iniciar o processo por demanda na guia Processos de uma instância de objeto. O processo está incluído na lista de subprocessos disponíveis e pode ser invocado em tempo de execução como um subprocesso. Se estiver definido como início automático, o processo será iniciado automaticamente quando a condição de início (se houver) for atendida.
  4. Clique em Salvar e continuar.
  5. Adicione todos os objetos vinculados do objeto principal:
    1. Selecione o objeto principal no qual adicionar um objeto vinculado e clique em Adicionar objeto vinculado.
    2. Na lista suspensa Atributo, selecione o objeto vinculado.
      Dependendo do objeto vinculado selecionado, o campo Tipo de objeto do atributo será preenchido automaticamente.
    3. Selecione um código de partição do atributo.
      Essa opção só é exibida se um modelo de partição tiver sido definido para o atributo no Studio.
    4. Digite a chave do objeto vinculado no campo Chave de objeto.
    5. Clique em Salvar e continuar.
      A página de objetos de definição de processo é exibida listando o objeto vinculado recém adicionado sob o objeto principal. Nessa página, você pode adicionar outros objetos vinculados, remover objetos ou sair do processo atual.
  6. Clique em Continuar.
Modo de partição e associação da partição
Se existir um modelo de partição para um objeto no Studio, o menu suspenso Partição e Modo de associação da partição serão exibidos na página de propriedades do objeto principal. A lista de partições varia de acordo com o modelo de partição atribuído ao objeto. Os seguintes modos estão disponíveis:
  • Somente partição
    . Todos os processos estão disponíveis para os usuários atribuídos a essa partição específica. Por exemplo, você seleciona os valores a seguir para o modo de partição e associação de partição de um objeto. Essa seleção permite que apenas os usuários que estão associados ao nível de partição TI corporativa acessem os processos do objeto:
    • Partição: Sede de TI
    • Modo de associação da partição: apenas partição
    Os usuários que estiverem associados à partição Organização de TI, que é um nível ancestral, ou à partição IT corporativa - Nova Iorque, que é um nível descendente, não poderão acessar esses processos.
  • Partições, ancestrais e descendentes
    . Todos os processos estão disponíveis para os usuários atribuídos a essa partição específica e para os usuários atribuídos ao ancestral ou descendente dessa partição. Por exemplo, você seleciona os valores de partição a seguir para um objeto. Essa seleção permite que os usuários que estão atribuídos à partição TI corporativa e a suas partições ancestrais e descendentes acessem os processos do objeto:
    • Partição: Sede de TI
    • Modo de associação da partição: partição, ancestrais e descendentes
  • Partições e ancestrais
    . Todos os processos estão disponíveis para os usuários atribuídos a essa partição e ao seu ancestral.
  • Partições e descendentes
    . Todos os processos estão disponíveis para os usuários atribuídos a essa partição e ao seu descendente.
Você pode alterar os valores de partição de um objeto a qualquer momento.
Quando você altera os valores de partição, o processo é desativado. Revalide e reative os processos.
Adicionar objetos vinculados a um processo
Depois de adicionar um objeto principal a um processo, você poderá adicionar um objeto vinculado ao objeto principal. A opção para selecionar um código de partição do atributo é exibida apenas se um modelo de partição tiver sido definido para o objeto vinculado no Studio.
Siga estas etapas:
  1. Com o processo aberto, clique em Objetos.
  2. Selecione o objeto principal no qual adicionar um objeto vinculado e clique em Adicionar objeto vinculado.
  3. Preencha as informações solicitadas. Os campos a seguir precisam de explicação:
    • Atributo
      Define o objeto de vínculo.
  4. Clique em Salvar e continuar.
    A página de objetos é exibida listando o objeto vinculado recém adicionado sob o objeto principal. Nessa página, é possível adicionar outros objetos vinculados, remover objetos ou sair do processo atual.
  5. Clique em Continuar para prosseguir para a página de opções de início de processo de trabalho a fim de especificar uma opção para iniciar o processo.
Definir a opção de início do processo
Você pode definir uma condição de início de processo para todos os objetos principais e vinculados e para seus objetos pai ou avô. Na página Opções de início do processo você poderá selecionar entre as seguintes opções de início:
  • Por demanda. Se selecionar essa opção, você poderá ativar esse processo manualmente. Vá até Processos do objeto principal incluído nesse processo. Na página de processos disponíveis, selecione esse processo e clique em Iniciar.
  • Início automático. Você poderá iniciar automaticamente um processo somente se o objeto principal tiver sido ativado para eventos no Studio (ou seja, quando o objeto é definido no Studio, a caixa de seleção Evento ativado fica marcada). Se você marcar a opção, o processo será ativado automaticamente quando as condições de início forem satisfeitas. Selecione um evento de início ou defina condições de início para determinar as condições de início automático do processo.
Siga estas etapas:
  1. Com o processo aberto, clique em Opções de início.
  2. Clique em Início automático.
  3. Preencha os seguintes campos:
    • Iniciar evento
      Define o evento que iniciará o processo automaticamente. A lista exibe todos os eventos são registrados no
      Clarity PPM
      para os objetos de processo selecionados. Em geral, para todos os objetos do
      Clarity PPM
      , as opções de eventos de início são Criar, Atualizar e Criar e atualizar.
      Se você selecionar Atualizar ou Criar e atualizar como o evento de início, uma caixa de seleção será exibida. Se marcar a caixa de seleção, somente uma instância do processo em execução poderá iniciar automaticamente cada instância de objeto em um determinado momento.
    • Condição inicial
      Define a condição inicial para iniciar automaticamente o processo. Se você selecionar Criar e atualizar como o evento de início, poderá definir as condições de início para o evento de criação e o evento de atualização no mesmo processo.
      Verifique os estados entre os atributos para usar os atributos de objeto que são definidos na partição selecionada para criar as condições iniciais.
      Exemplo:
      você deseja enviar uma notificação ao seu gerente quando o status do projeto é alterado. Este status pode mudar em dois estágios - quando a instância de projeto é criada e quando a instância de projeto é atualizada. Nesse caso, as condições de início do processo se aplicam aos eventos de criação e atualização.
Definir uma condição inicial
Você pode adicionar uma condição de início a um processo. Antes de iniciar, defina uma condição de início para iniciar automaticamente um processo. A opção de início automático deve ser marcada na página de opções de início. Se selecionar a opção de criação de evento inicial nessa página, você poderá selecionar apenas o valor do atributo atual de um objeto ao construir a condição. Não é possível selecionar os valores anterior e atual de um objeto Criar evento. O mesmo se aplica se você selecionar um objeto vinculado (incluindo objetos pai e avô).
Siga estas etapas:
  1. Com o processo aberto, clique em Opções de início.
  2. Clique no link Definir condição.
    Se você selecionou Criar e atualizar como o evento de início, poderá definir as condições de início para o evento de criação e o evento de atualização no mesmo processo.
  3. Selecione o objeto no qual você deseja configurar uma regra.
  4. Especifique os parâmetros à esquerda da condição selecionando um botão de opção e, em seguida, selecionando um valor de atributo (atual ou anterior) para o objeto selecionado.
  5. Especifique os parâmetros à direita da condição especificando um operador e uma constante, ou selecionando um objeto e um valor de atributo.
  6. Clique em Adicionar para adicionar e avaliar a expressão no campo Expressão.
  7. Defina as condições de início adicionais ou alternativas usando as operações E ou Ou.
  8. Clique em Salvar e continuar.
As condições do processo não podem incluir atributos virtuais ou ACAs
As releases anteriores, de 14.3 a 15.3, permitiam aos designers de processo incluir atributos potencialmente problemáticos nos respectivos processos. Os atributos virtuais, como
Início da linha de base
e ACAs (Aggregated Calculated Attributes - Atributos Calculados Agregados), estavam disponíveis para seleção nas condições iniciais do processo. Se um processo criado em torno do objeto principal Tarefa ou Projeto incluísse um atributo virtual ou ACA em sua condição inicial, o usuário não podia mais usar o Cronograma automático. A seleção desses atributos e a execução do processo também causava problemas em outras áreas. Por exemplo, o aplicativo podia impedir você de salvar tarefas, atribuições de tarefas ou registros do integrante da equipe.
A partir da Release 15.4, uma condição de processo do objeto Tarefa ou Projeto não pode incluir um atributo virtual nem um atributo calculado agregado. Esses atributos não estão mais disponíveis no criador de expressões para seleção dos usuários ao definir uma condição de processo.
Um processo atualizado ou importado com atributos derivados calculados agregados ou virtuais irá gerar um erro de validação somente se a etapa que contém o atributo for avaliada novamente e o processo inteiro for validado. Consulte a documentação Atualização e impacto de mudanças da 15.4.
Se você não removeu esses atributos inválidos antes da atualização, remova-os das condições para processos que se baseiam nos objetos Tarefa ou Projeto depois da atualização. Após uma atualização para a release 15.4 ou superior, o aplicativo força a remoção desses atributos problemáticos quando você define uma nova condição de processo. No entanto, somente você pode removê-los de seus processos herdados. Para validar o comportamento correto, siga estas etapas no CA PPM 15.4 ou superior após a atualização:
  1. Efetue logon no PPM clássico e clique em
    Administração
    ,
    Administração de dados
    ,
    Processos
    .
  2. Crie um novo processo ou abra um processo herdado.
  3. Examine o objeto principal (
    Tarefa
    ou
    Projeto
    ).
  4. Selecione
    Início automático
    como a
    Opção de início
    .
  5. Selecione
    Atualizar
    para o
    Evento inicial
    . Clique em
    Salvar
    .
  6. Clique no link
    Definir condição
    .
  7. Na página
    Iniciar construtor de condição
    , selecione o objeto
    Tarefa
    ou
    Projeto
    .
  8. Clique no campo
    Valor do atributo
    . Não é mais possível selecionar atributos virtuais (como Início da linha de base e Término da linha de base) ou ACAs. Uma vez que você está excluindo esses atributos das condições iniciais, é possível que o comportamento do seu processo também mude. Por exemplo, o processo pode ser disparado para ser executado com mais ou menos frequência.
  9. Na guia
    Validação
    do processo, selecione todas as etapas e clique em
    Validar
    ou clique em
    Validar tudo e ativar
    . Se o processo não for validado, remova todos os atributos virtuais que foram atualizados.
O seguinte comportamento poderá ocorrer se o seguinte cenário se aplicar a você:
  1. Na release anterior, antes de uma atualização para a versão 15.4, você configurou um ou mais processos para serem iniciados quando valores de atributo virtual em uma tarefa mudarem, como a data do Início da linha de base ou do Término da linha de base.
  2. Durante a solução de problemas desse processo, você não pode mais publicar as datas de teste do Cronograma automático. Um erro de sistema é exibido. No entanto, a interface do usuário e os registros não indicam que a mensagem de erro se deve às condições do processo que você criou.
  3. Mesmo que você coloque o processo em espera, talvez ainda seja preciso reiniciar os serviços para que o Cronograma automático volte a funcionar. Como um cliente de SaaS, talvez você tenha que entrar em contato com o suporte da CA para agendar um horário seguro para reiniciar os serviços.
  • O CA PPM suprime os atributos não suportados da pesquisa que é usada no criador de expressões ao criar ou atualizar uma condição de processo.
  • Essa alteração afeta somente o construtor de condição de processo e não tem nenhum impacto nos outros criadores de expressões, incluindo filtros avançados e definições de processo existentes.
  • Os processos existentes podem continuar funcionando após uma atualização. Você só precisará revisar e validar novamente as condições que usam esses tipos de atributo se o processo não funcionar mais após a atualização.
  • Para as definições de processo do XOG, é recomendável verificar cada condição de processo.
  • Qualquer processo ativo existente que é atualizado permanece ativo. Se você tiver problemas com atributos virtuais no processo, remova-os do construtor de condição.
Defina as ações da etapa
Ao definir ações nas etapas, todos os atributos de item de ação são disponibilizados no Construtor de criação para a criação de condições. Quando o número de itens de ação aumenta, você pode verificar o status de cada item de ação. As ações manuais e do sistema são iniciadas quando a condição da etapa é atendida. Defina o contexto em um item de ação manual usando as marcas de atributo (de vários objetos) nos campos Assunto e Descrição do item de ação. Quando você envia um item de ação, o mecanismo de processo substitui as marcas de atributo pelos valores da instância de objeto. Os destinatários do item de ação podem responder melhor aos itens de ação usando um conteúdo mais relevante.
As marcas de atributo permitir que designers de processos incorporem dados de vários objetos ao item de ação. É possível atribuir itens de ação manual para os seguintes itens:
  • Funções do objeto
    Para atribuir o item de ação a uma função com base na propriedade do objeto.
  • Funções do sistema
    Para atribuir o item de ação a um recurso com base em uma função do sistema.
  • Grupos
    Para atribuir o item de ação a um recurso com base na associação ao grupo.
  • Recursos
    Para atribuir o item de ação a um recurso com base no nome do recurso.
  • Campos do recurso
    Para atribuir o item de ação a um recurso com base em um campo do recurso.
  • Funções do objeto do modelo
    Para atribuir o item de ação a um recurso com base no objeto do modelo. Essa guia só aparece se um modelo de projeto existir no processo.
Definir etapas e condições
as etapas de início e de término são sempre obrigatórias e são criadas automaticamente, mesmo que você não as defina explicitamente. É possível adicionar e definir etapas intermediárias. Cada etapa consiste em várias ações, e cada etapa é executada por um responsável ou pelo produto. Você pode criar ações personalizadas que incluem scripts GEL personalizados. As etapas iniciais e finais podem estar contidas em um grupo.
Definir as propriedades gerais das etapas de início e término
Siga estas etapas:
  1. Com o processo aberto, clique em uma das seguintes opções:
    • Etapa de início, para criar a etapa de início.
    • Etapa de conclusão, para criar uma etapa de conclusão.
  2. Preencha as informações solicitadas e salve. Os campos a seguir precisam de explicação:
    • Exibir aviso após
      Se a execução da etapa falhar, especifica o período após o qual o aviso será exibido. Selecione o período e digite o número para ele.
      Exemplo: 2 dias
Definir as propriedades gerais da etapa intermediária
Siga estas etapas:
  1. Com o processo aberto, clique em Etapas.
  2. Clique em Nova etapa.
  3. Preencha as informações solicitadas e salve. Os campos a seguir precisam de explicação:
    • Grupo
      Define o nome do grupo que está associado a essa etapa.
    • Exibir aviso após
      Se a execução da etapa falhar, especifica o período após o qual o aviso será exibido. Selecione o período e digite o número para ele.
      Exemplo: 2 dias
Definir pré-condições da etapa
Ao definir uma pré-condição para uma etapa, você poderá usar os atributos de vários objetos adicionados ao processo. Por exemplo, você pode criar pré-condições que:
  • Verifiquem o status dos itens de ação.
  • Verifiquem os valores de atributo entre objetos
  • Aguardem um subprocesso ser concluído antes de ingressarem no processo principal
Você pode aplicar uniões de pré-condição apenas às etapas intermediárias e finais, mas não à etapa de início. Para configurar uma pré-condição usando o
Valor anterior
de determinados atributos, ative a trilha de auditoria desses atributos no Studio.
Para atributos de objeto com um tipo de dados MVL (Multi Valued Lookup - Pesquisa de vários valores), não é possível criar condições de etapa que verificam valores de atributo anteriores e atuais.
Siga estas etapas:
  1. Abra o processo.
  2. Abra as etapas de início, intermediária ou de conclusão que deseja editar.
  3. Se essa etapa estiver unida a etapas anteriores que foram divididas, selecione um tipo de união na seção Pré-condição. Você pode definir um tipo de união sem uma pré-condição e vice-versa.
  4. Clique em Novo para especificar uma pré-condição para acionar o início da etapa.
  5. Defina uma pré-condição criando os parâmetros à esquerda e à direita usando objetos e seus valores de atributo.
    Por exemplo, você pode ter a seguinte pré-condição: após um dia da etapa de Início, acionar a Etapa 2. A pré-condição inicia a etapa 2.
  6. Avalie a expressão e use os operadores E/Ou para adicionar pré-condições adicionais ou alternativas.
  7. Salve as alterações.
Definir pós-condições da etapa
Após definir as pré-condições para acionar uma etapa, defina pós-condições que conectarão essa etapa à próxima etapa ou à etapa final. Por exemplo, você pode criar pós-condições que façam o seguinte:
  • Verifiquem o status dos itens de ação.
  • Verifiquem os valores dos atributos de objeto (exceto para atributos MVL).
  • Aguardem um subprocesso ser concluído antes de ingressarem no processo principal
Quando você configurar uma pós-condição usando o Valor anterior de determinados atributos, ative a trilha de auditoria desses atributos no Studio.
Para atributos de objeto com um tipo de dados MVL (Multi Valued Lookup - Pesquisa de vários valores), não é possível criar condições de etapa que verificam valores de atributo anteriores e atuais.
Siga estas etapas:
  1. Abra o processo.
  2. Abra a etapa inicial, intermediária ou final a ser editada.
  3. Se a etapa estiver ramificando o processo em diversas direções na seção Pós-condições, selecione um tipo de divisão.
  4. Na coluna Se..., clique em Criar condições para definir a condição Se que levará para a próxima etapa.
  5. Preencha os seguintes campos:
    • Objeto
      Especifica a etapa a ser usada do lado direito da expressão Se. Se você selecionar o campo Objeto e um valor, um segundo campo será exibido para que você selecione o valor a ser usado na expressão.
    • Campo
      Especifica os parâmetros à esquerda das condição Se.
      Valores:
      • Dias decorridos desde o início da etapa. O número de dias que se passaram desde o início da etapa. Você pode especificar o valor como uma fração. Por exemplo, para um dia e meio, o valor é 1.5.
      • Duração da etapa concluída. A quantidade de dias decorridos desde que a etapa foi concluída. Você pode especificar esse valor como uma fração. O valor de duração da etapa concluída não será definido até que a etapa seja concluída. A duração da etapa concluída de uma etapa não pode ser usada como uma pós-condição para a mesma etapa.
      • Quantidade de vezes repetidas. A quantidade de vezes que a etapa entrará em looping. Por exemplo, depois de concluir as etapas 1, 2, 3 e 4, você pode ter uma pós-condição na etapa 5. A etapa 5 leva o processo de volta à etapa 2. Se o valor de Quantidade de vezes repetidas for 3, a etapa 5 entrará em loopping três vezes. Depois disso, o processo seguirá as instruções definidas na condição.
    • Operador
      Especifica a operação a ser executada para avaliar a expressão Se.
      Valores: =, !=, >, >=, <, <=
    • Constante
      Especifica um valor constante a ser incluído na parte direita da expressão avaliada Se.
      Exemplo: se o número de dias decorridos desde o início da etapa = 2.
  6. Clique em Adicionar para avaliar a expressão e usar os operadores E/Ou para adicionar pré-condições adicionais ou alternativas.
  7. Clique em Salvar e continuar.
  8. Na seção Pós-condições, na coluna Ir para, clique em Selecionar etapas para selecionar a etapa que será acionada a seguir se a condição da etapa atual for satisfeita.
  9. Clique em Novo para adicionar e criar outras pós-condições (se necessário).
  10. Salve as alterações.
Criar uma ação da etapa manual
Siga estas etapas:
  1. Abra o processo e a etapa.
  2. Na seção Ações, clique em Novo.
  3. Selecione Ação manual e clique em Avançar.
  4. Preencha as informações solicitadas na seção Geral.
  5. Nas seções Ações, selecione uma ação disponível.
  6. Preencha os seguintes campos na seção Mensagem de item de ação:
    • Assunto
      Define o nome do item de ação. Você pode inserir um assunto ou selecionar variáveis de atributo no objeto associado ao processo. O atributo será substituído por um valor quando o item de ação for processado.
    • Descrição
      Define a descrição do item de ação. Você pode inserir um assunto ou selecionar variáveis de atributo no objeto associado ao processo. O atributo será substituído por um valor quando o item de ação for processado.
    • Prioridade
      Especifica o nível de prioridade do item de ação.
      Valores:
      baixa, média ou alta
    • Inserir destinatários
      Define os destinatários da ação. Digite uma ou mais IDs de usuário e clique em Adição rápida de destinatários para adicioná-los ao campo Destinatários.
    • Tornar o Item de ação disponível para outras etapas
      Especifica se o item de ação está disponível para utilização por outras etapas.
    • Exibe somente o status do destinatário para o usuário atual
      Especifica se apenas o nome e o status atuais do usuário podem ser vistos ao exibir um item de ação ou se todos os status do destinatário podem ser vistos.
      Padrão:
      desmarcado
  7. Preencha os campos a seguir na seção Notificação e salve:
    • Enviar notificação
      Especifica o evento que ocorre antes de a notificação ser enviada.
      • Valores:
      • Quando a etapa é iniciada.
      • Quando a etapa for concluída.
      • Quando ocorrer um erro na etapa.
    • Inserir destinatários
      Define os nomes dos destinatários da notificação. Clique em Adição rápida de destinatários para adicionar destinatários ao campo Enviar notificação para.
    • Enviar notificação para
      Define as funções do objeto para notificar sobre a ação.
    • Notificar proprietário
      Especifica se você deseja ser notificado sobre a ação.
      Padrão:
      desmarcado
Criar uma ação da etapa do sistema
Você pode determinar que as ações definidas para um objeto sejam concluídas durante uma etapa.
Siga estas etapas:
  1. Abra o processo e a etapa.
  2. Na seção Ações, clique em Novo.
  3. Selecione Ação do sistema e clique em Avançar.
  4. Preencha os campos a seguir na seção Ação do sistema e salve:
    • Objeto
      Define o objeto que está vinculado à ação do sistema.
    • Ação
      Define a ação para a ação do sistema. As opções exibidas para definir a ação dependem da ação selecionada por você.
Criar execuções de rotinas
Siga estas etapas:
  1. Abra o processo e a etapa.
  2. Na seção Ações, clique em Novo.
  3. Selecione
    Executar rotina
    e clique em Avançar.
  4. Selecione um tipo de rotina e clique em Avançar.
  5. Preencha as informações solicitadas para configurar as propriedades. Os campos a seguir precisam de explicação:
    • Nome da rotina
      Define a rotina que é executada como parte dessa ação. Se a seção Parâmetros for exibida, digite os parâmetros que forem necessários para a rotina. Os parâmetros exibidos, se houver, dependem da rotina selecionada por você.
    • Modo de conclusão
      Define o modo de conclusão da rotina.
      Valores:
      • Síncrono
      • Assíncrono
  6. Na seção Notificações, digite os detalhes da notificação.
  7. Na seção Notificar, selecione o recurso ou grupo para receber notificações sobre a rotina.
  8. Na seção Compartilhamento, selecione o recurso ou grupo com que esta rotina será compartilhada.
  9. Salve as alterações.
Criar uma ação do sistema para executar um subprocesso
Siga estas etapas:
  1. Abra o processo e a etapa.
  2. Na seção Ações, clique em Novo.
  3. Selecione
    Subprocesso
    e clique em Avançar.
  4. Preencha as informações solicitadas. Os campos a seguir precisam de explicação:
    • Subprocesso
      Especifica o subprocesso a ser usado na ação. Você pode selecionar dentre todos os processos válidos e ativos cujos objetos principais e partições correspondam aos objetos e às partições do processo principal.
    • Iniciando objeto
      Exibe o objeto em tempo de execução para iniciar o subprocesso.
    • Chave de objeto do subprocesso
      Define a ID do subprocesso para usar como referência durante a criação de condições.
    • Modo de conclusão
      Define o modo de conclusão do subprocesso.
      Valores:
      • Síncrono: depois que o subprocesso é chamado, o processo principal é colocado em pausa até que o subprocesso seja concluído. Não é possível encerrar um subprocesso síncrono, pois isso interfere no processo principal.
      • Assíncrono: o subprocesso é executado de maneira assíncrona com o processo principal, mas pode ingressar no processo principal em uma etapa ou ação futura. O estado do subprocesso é visível para o processo principal. O processo principal não é concluído até que o subprocesso assíncrono seja concluído. Não é possível encerrar um subprocesso assíncrono, pois isso interfere no processo principal.
      • Independente: o subprocesso é executado independentemente do processo principal. Depois que um subprocesso é chamado a partir de uma ação da etapa, seu estado não é mais visível para o processo principal. Se a execução de um subprocesso não interferir no processo principal, você poderá definir o modo do subprocesso como independente. O processo principal pode ser concluído mesmo que o subprocesso independente ainda esteja em execução. Você pode encerrar um subprocesso independente, pois isso não afeta o processo principal. Da mesma maneira, o encerramento do processo principal não afeta o subprocesso.
  5. Clique em Salvar e continuar.
Criar um escalonamento no nível da etapa
Os escalonamento de nível de etapa podem ser chamados apenas quando você define um item de ação em uma etapa. Se uma etapa não estiver completa, os escalonamentos podem executar um item de ação e notificar um recurso ou grupo específico. Em tempo de execução, sempre que um item de ação é aberto, ele pode ser escalonado usando determinadas regras de escalonamento predefinidas. Você pode usar regras de escalonamento de etapa ou as regras de escalonamento padrão do processo, independentemente do escopo do item de ação. O escalonamento só funcionará se a ação estiver na etapa correspondente.
Você pode definir uma regra de escalonamento para cada etapa de um processo. Quando você não tiver definido uma regra de escalonamento no nível da etapa, a mensagem Não há configuração de regra de escalonamento a ser exibida aparecerá na seção Escalonamento da página da
etapa de definição do processo
. Depois de definir uma regra, uma breve descrição da regra é exibida na seção Escalonamento como um link. Se você não tiver definido um escalonamento para a etapa, os padrões de escalonamento no nível do processo serão usados, se houver algum.
Para que os escalonamentos de nível de etapa funcionem corretamente, primeiro defina uma ação manual para a etapa.
Siga estas etapas:
  1. Com o processo aberto, clique em Etapas.
  2. Abra a etapa.
  3. Na seção Escalonamento, clique em Novo.
  4. Preencha os atributos:
    • Tipo de escalonamento
      Define as regras de escalonamento para esse processo.
      Valores:
      • Nenhum: não existe regra de escalonamento para este processo.
      • Hierarquia de ORG: escalonar por meio da hierarquia de ORG.
      • Hierarquia de gerente de recursos: escalonar por meio de uma hierarquia de gerentes de recursos.
      • Recurso específico: escalonar para um recurso específico.
    • Níveis
      Especifica o número de níveis a serem escalonados. Selecione Sem Limite para escalonar indefinidamente.
    • Período de tolerância inicial
      Especifica o tempo de espera antes do escalonamento do item de ação (o número de minutos, dias, semanas ou meses).
    • Período de tolerância subsequente
      Se nenhuma ação ocorrer, especifica o tempo de espera até que o escalonamento ocorra novamente.
    • Ativo
      Selecione para ativar este escalonamento.
  5. Na seção Notificação adicional, preencha as informações solicitadas para configurar as notificações de escalonamento adicionais.
  6. Salve as alterações.
Configurar notificações do processo no nível da etapa
Você pode definir uma notificação para uma etapa e para cada ação da etapa. É possível enviar notificações quando a etapa ou ação for executada, além de especificar os destinatários da etapa ou ação específica. Para configurar notificações para uma ação de etapa, primeiro crie a ação da etapa.
O método pelo qual um destinatário recebe as notificações depende do método de notificação especificado na página Configurações da conta: notificações. Notificações podem ser um alerta, email ou SMS.
Siga estas etapas:
  1. Com o processo aberto, clique em Etapas e abra a etapa para a qual deseja definir uma notificação.
  2. Na seção Notificações, preencha e salve as configurações a seguir:
    • Enviar notificação
      Especifica o evento que ocorre antes de a notificação ser enviada.
      • Valores:
      • Quando a etapa é iniciada.
      • Quando a etapa for concluída.
      • Quando ocorrer um erro na etapa.
    • Inserir destinatários
      Define os nomes dos destinatários da notificação. Clique em Adição rápida de destinatários para adicionar destinatários ao campo Enviar notificação para.
    • Enviar notificação para
      Define o tipo de recurso que deseja notificar sobre esta etapa.
      • Valores:
      • Função do objeto. Notifica uma função que tem como base a propriedade do objeto. A lista de funções varia de acordo com o objeto.
      • Função do sistema. Notifica um recurso com base em uma função de sistema.
      • Grupos. Notifica um recurso com base na associação de grupo definida em Organização e acesso.
      • Resources. Notifica um recurso com base em seu nome.
      • Campos do recurso. Notifica um recurso com base em seus campos.
      • Funções do objeto do modelo. Notifica um recurso que tem como base o objeto de modelo. A opção só estará disponível se um modelo de projeto estiver anexado ao processo.
    • Notificar proprietário
      Especifica se você deseja ser notificado sobre a ação.
      Padrão:
      desmarcado
Criar um grupo de processos
Use os grupos de processos para categorizar as etapas que representam os maiores segmentos do processo. Para criar grupos de processos, primeiro crie um grupo de placeholder e, em seguida, associe as etapas do processo a esse grupo. Você pode reorganizar as etapas do grupo e atualizá-lo de vez em quando.
Siga estas etapas:
  1. Com o processo aberto, clique em Etapas.
  2. Clique em Novo grupo.
  3. Preencha as informações solicitadas.
  4. Clique em Salvar e continuar.
Associar uma etapa a um grupo de processos
Depois de criar um grupo de placeholders, associe-o às etapas do processo.
Siga estas etapas:
  1. Com o processo aberto, clique em Etapas.
    A página de etapas é exibida, listando todas as etapas e todos os grupos incluídos no processo.
  2. Abra a etapa para associar a um grupo.
  3. Na seção Geral, clique na lista suspensa Grupo e selecione o grupo a ser associado a esta etapa.
  4. Clique em Salvar e continuar.
    A página de
    etapas
    aparece e mostra a etapa como parte do grupo.
  5. Repita, conforme necessário, para adicionar mais etapas ao grupo.
  6. Para mover as etapas ou os grupos, clique em Reorganizar e use as setas para cima e para baixo.
  7. Para atualizar um grupo de processos, clique no nome do grupo e edite todos os campos.
  8. Clique em Salvar e continuar.
Escalonamentos no nível do processo
Você pode criar escalonamentos para executar um item de ação e notificar um ou mais recursos quando uma etapa do processo não for concluída. O
Clarity PPM
oferece suporte ao escalonamento no nível da etapa. Você pode definir uma regra de escalonamento para cada etapa de um processo. A data de vencimento do item de ação é usada para iniciar o escalonamento. Como
melhor prática
, se você planeja usar escalonamentos nos processos, torne obrigatório o campo Data de vencimento para o objeto Item de ação.
O método pelo qual um destinatário recebe as notificações dependerá do método de notificação que o recurso especificar na página Configurações da conta: Notificações. Por exemplo, os destinatários podem receber notificações do processo por meio de um alerta, email ou SMS.
Exibir o status da rotina de escalonamento
Na seção
Status da rotina de escalonamento
, exiba as seguintes informações de todas as rotinas de escalonamento ativas:
  • O nome da rotina de escalonamento.
  • A data e hora de início reais da rotina de escalonamento
  • A data e a hora de término da rotina de escalonamento (somente se a rotina tiver sido concluída).
  • A data programada da rotina de escalonamento.
  • O status da rotina de escalonamento. Por exemplo, Pendente ou Concluído.
Filtrar objetos de escalonamento
Use a seção Filtro de objetos de escalonamento para filtrar rotinas de escalonamento por nome e ID de objeto. Você pode usar objetos pai e vinculados. Para exibir essa página a partir da página de lista de processos, clique em Escalonamentos.
Adicionar padrões de escalonamento no nível de processo
Siga estas etapas:
  1. Com o processo aberto, clique em Padrões de escalonamento.
  2. Na seção Geral, preencha os seguintes campos:
    • Tipo de escalonamento
      Define as regras de escalonamento para esse processo.
      • Valores:
      • Nenhum: não existe regra de escalonamento para este processo.
      • Hierarquia de ORG: escalonar por meio da hierarquia de ORG.
      • Hierarquia de gerente de recursos: escalonar por meio de uma hierarquia de gerentes de recursos.
      • Recurso específico: escalonar para um recurso específico.
    • Níveis
      Especifica o número de níveis a serem escalonados. Selecione Sem Limite para escalonar indefinidamente.
    • Período de tolerância inicial
      Especifica o tempo de espera antes do escalonamento do item de ação (o número de minutos, dias, semanas ou meses).
    • Período de tolerância subsequente
      Se nenhuma ação ocorrer, especifica o tempo de espera até que o escalonamento ocorra novamente.
    • Ativo
      Selecione para ativar este escalonamento.
  3. Na seção Notificação adicional, preencha as informações solicitadas e salve.
Monitorar escalonamentos do processo
Os escalonamentos de processos ocorrem por meio de rotinas. Use a seção Status da rotina de escalonamento
para visualizar uma lista de rotinas de escalonamento e monitorar seus status. Você também pode visualizar e editar as regras de objetos de escalonamento.
Quando ocorre um escalonamento, você pode determinar o objeto, o nome do processo e a ID da instância do processo. Você também pode determinar quando o escalonamento foi iniciado, a ocorrência do próximo escalonamento e detalhes da conclusão. Por exemplo, um recurso que finalmente atuou na etapa.
Siga estas etapas:
  1. Na página de processos disponíveis, clique em Escalonamentos.
  2. Na seção
    Status da rotina de escalonamento, verifique os seguintes campos:
    • Nome
      Exibe o nome da rotina de escalonamento.
    • Data de início
      Exibe a data em que a rotina foi iniciada pela última vez.
    • Data de término
      Exibe a data em que a rotina foi concluída pela última vez.
    • Data do cronograma
      Exibe quando será a próxima execução da rotina.
    • Status
      Exibe o status da rotina de escalonamento.
  3. Clique no link Tipo de objeto para exibir e atualizar as propriedades da regra de escalonamento.
O que dispara uma mudança na coluna Está escalonado, na lista Item de ação?
Nenhuma configuração no menu Item de ação pode ajudá-lo a fazer a alteração da coluna. Você pode usar um processo personalizado para alterá-la, mas os usuários geralmente desejam saber que outras configurações ou processos podem alterá-la automaticamente.
As datas de vencimento do escalonamento do processo são controladas pelas configurações do atributo Data de vencimento, no objeto Item de ação.
Para fins de teste, é possível usar a opção de data específica e definir uma data e uma hora alguns minutos adiantadas. No entanto, para um processo em produção, é necessário usar uma Data de giro, pois essa configuração será aplicada a todos os itens de ação do processo (incluindo os processos de escalonamento).
Comportamento de escalonamento de processo
O comportamento de "Está escalonado" é complexo. Por padrão, os Escalonamentos de processos baseiam-se na data de vencimento do item de ação. Você pode encontrar a data de vencimento definida indo para o objeto Item de ação e examinando o atributo Data de vencimento. O primeiro escalonamento ocorrerá na data de vencimento do item de ação. Os escalonamentos adicionais ocorrerão com base no Período de tolerância subsequente. O período de cortesia inicial é ignorado. Há uma maneira de alterar o comportamento dos escalonamentos, por processo, usando o xog. Esse procedimento irá alterar o comportamento de escalonamento de forma que o primeiro escalonamento ocorra na data de vencimento do item de ação e no período de cortesia inicial, e os encaminhamentos subsequentes ocorram de acordo com o intervalo indicado no período de cortesia subsequente. Se desejar que a data de escalonamento para um determinado processo seja a data de vencimento do item de ação mais o período de cortesia inicial, uma solução alternativa muito fácil é exportar com XOG a definição do processo a partir do Clarity e modificar a entrada do XOG assim:
aiWDueDateAction="ESC_ACTION_DUE_DATE_PLUS_IWP"
E, em seguida, importar com XOG a definição do processo de volta no Clarity. Isso fará com que as datas de escalonamento funcionem da maneira desejada. No seguinte exemplo, a instrução de atualização do SQL pode ser usada para atualizar as regras de escalonamento de todos os itens de ação do processo:
UPDATE ESC_DEF_RULES
SET ai_w_due_date_action_code = 'ESC_ACTION_DUE_DATE_PLUS_IWP'
WHERE object_type_code = 'actionitem'
AND parent_object_type_code = 'process'
Isso fará com que o primeiro escalonamento ocorra após a data de vencimento do item de ação, após o período de cortesia inicial. A data de vencimento do item de ação para processos é a data de vencimento padrão definida no campo Data de vencimento do objeto Item de ação.
Erros de tempo de execução e validação do processo
Use a página de validações de processo para monitorar o status mais recentes de validação e os erros no nível da etapa e do processo. Para abrir a página de validações de processo, abra o processo e clique em Validação.
Erros de tempo de execução do processo
Na página de processos iniciados, você pode visualizar uma lista das instâncias de processo que você iniciou. Nessa página, você pode detalhar até a página de mensagens do processo iniciado e obter informações detalhadas sobre um erro. Quaisquer erros ou avisos serão exibidos na seguinte ordem de precedência:
  • Os
    Erros do sistema
    ocorrem na infraestrutura da gestão de processos.
  • Os
    Erros do aplicativo
    ocorrem no produto e afetam a gestão do processo.
  • Os
    Avisos
    ocorrem para as exceções que requerem uma ação corretiva.
Os erros podem muitas vezes interromper um processo. Os avisos não proíbem um processo de continuar.
Estados de validação
O campo Status da seção Geral na página de detalhes da etapa reflete o status da validação da etapa. Veja a seguir os possíveis estados de validação:
  • Diamante verde = validado.
    Indica que o objeto de validação (etapa ou processo) é válido.
  • Diamante branco = não validado.
    Indica que o objeto de validação não foi validado ou que não há erros de validação no nível específico da validação.
  • Diamante amarelo = revalidação obrigatória.
    Indica que é necessária uma revalidação do objeto de validação em relação às alterações feitas no processo após a última validação.
  • Diamante vermelho = erros encontrados.
    Foram detectados erros no objeto de validação durante a validação.
Validar um processo
É possível validar o processo e todas as etapas incluídas na página de validação do processo. Ao clicar em uma etapa na página, você será direcionado para a página de detalhes da etapa para visualizar seus detalhes. Clicar no link Processo levará você às propriedades do processo. Se um erro for exibido durante a validação, corrija-o e execute o processo de validação novamente. Ative um processo após validá-lo.
Siga estas etapas:
  1. Com o processo aberto, clique em Validação.
  2. Selecione cada etapa a ser validada e clique em Validar.
  3. Selecione o processo e clique em Validar.
    Todo o processo é validado por meio da execução de todas as validações incompletas, em todos os níveis.
  4. Selecione o processo e clique em Ativar processo.
  5. Para validar todas as etapas do processo e ativar o processo simultaneamente, clique em Validar tudo e ativar.
Revalidar um processo
Quaisquer alterações na definição do processo o invalidam em determinados níveis, além de tornar necessário que ele seja parcialmente validado novamente. Por exemplo, você alterou o tipo de divisão na etapa S2 do processo P1 a partir da divisão de Série para paralela (E). Valide a etapa S2 novamente e execute a validação de P1 no nível do processo.
Se você modificar um processo validado, ele se tornará invalidado. Não é necessário validar todo o processo novamente. Você pode executar novamente apenas determinadas validações. Por exemplo, se modificar uma pós-condição de uma etapa, você deverá revalidar apenas a etapa específica.
A tabela a seguir mostra os tipos de validações de repetição para alterações específicas que são feitas nos objetos:
Objeto
Mudança
Revalidações
Etapa
Quaisquer alterações feitas em uma etapa, incluindo:
Tipo de união
Pré-condição
Tipo de divisão
Condição de divisão
A etapa se torna invalidada. Todas as regras de validação de nível de etapa devem ser aplicadas novamente.
O processo se torna invalidado. Todas as regras de validação no nível do processo devem ser aplicadas novamente.
Processo
Excluir um objeto (principal, vinculado ou implícito)
Todas as etapas que fazem referência ao objeto se tornam invalidadas. As regras de validação de nível de etapa, as referências de objeto e as expressões de condição devem ser aplicadas novamente a todas as etapas afetadas.
Você pode excluir um objeto a partir da subpágina Objetos sub ou pode exclui-lo indiretamente excluindo uma ação de etapa que cria um objeto implícito.
Objeto
Excluir um objeto
Todas as etapas que fazem referência ao objeto se tornam invalidadas. As regras de validação de nível de etapa, as referências de objeto e as expressões de condição devem ser aplicadas novamente a todas as etapas afetadas.
Se houver instâncias iniciadas de processo das definições de processo que contêm as etapas que fazem referência ao objeto excluído:
As definições de processo se tornam invalidadas e desativadas.
As instâncias do processo iniciadas serão marcadas para serem anuladas.
Após o mecanismo do processo anular essas instâncias iniciadas, você poderá editar as definições do processo. É possível modificar e corrigir o problema e, em seguida, validar e ativar o processo novamente. Você também pode excluir as instâncias de processo canceladas usando uma rotina em lote ou excluindo as definições do processo invalidadas e desativadas.
Atributo do objeto
Excluir um atributo de objeto
Todas as etapas que fazem referência ao atributo do objeto são invalidadas. A regra de validação de nível de etapa e as expressões de condição devem ser aplicadas novamente a todas as etapas afetadas.
Se houver instâncias iniciadas de processo das definições de processo que contêm as etapas que fazem referência ao atributo de objeto excluído:
As definições de processo se tornam invalidadas e desativadas.
As instâncias do processo iniciadas serão marcadas para serem anuladas.
Após o mecanismo do processo anular essas instâncias iniciadas, você poderá editar as definições do processo. É possível modificar e corrigir o problema e, em seguida, validar e ativar o processo novamente. Você também pode excluir as instâncias de processo canceladas usando uma rotina em lote ou excluindo as definições do processo invalidadas e desativadas.
Regras de validação do processo
As regras de validação são agrupadas no nível do processo ou da tarefa.
Regras de validação no nível do processo.
As regras de validação de nível de processo são usadas para validar transições entre etapas. Geralmente, essas regras de validação são aplicadas depois que todas as etapas são validadas. No entanto, para validar a estrutura de um processo, você pode optar por executar essas regras de validação antes de todas as etapas serem validadas. As seguintes regras são aplicadas durante o processo de validação:
  • Cada condição pós-condição corresponde a uma pré-condição (exceto quando um tipo de divisão de ponto de decisão é usado em um loop de negociação).
  • Tipos de divisão em série contêm apenas uma condição com uma expressão avaliada e se conectam apenas a uma etapa.
  • Os tipos de divisão paralela correspondem a um tipo de junção de ponto de união.
  • Tipos de divisão de ponto de decisão:
    • Contém duas ou mais condições com expressões avaliadas, cada um delas para apenas uma etapa.
    • Correspondem a um tipo de união de mesclagem.
  • Tipos de divisão de múltipla escolha:
    • Contém duas ou mais condições com expressões avaliadas, cada um delas para apenas uma etapa.
    • Corresponde ao tipo de união aguardar e unir, vários segmentos ou primeiro na linha.
  • Os processos podem ser aninhados.
  • Cada condição contém uma expressão avaliada para concluir a etapa.
  • Não existem loops arbitrários. O fluxo de processo não pode ser transferido dentro ou fora de um loop.
  • As etapas de início e término são definidas.
  • Não existem nós de ilha.
  • Existe um caminho da Etapa de início para qualquer outra etapa. Existe um caminho de qualquer outra etapa para a etapa Final.
  • O número de divisões e o número de uniões são correspondentes.
  • Não existem ciclos aninhados. Existe apenas um ponto de entrada para o ciclo.
  • Um ciclo e um bloqueio de dividir-unir não podem ser aninhados.
  • Não existe nenhuma etapa com uma tipo de união "Nenhum", mas duas etapas de união. Não há etapas com o tipo de união E/OU e não há etapas de união.
  • Se você alterar o modo do processo de Ativo para Rascunho ou Em espera, ou se você excluir o processo, todos os outros processos que chamarem esse processo como um subprocesso serão invalidados.
  • Se um processo ativo sem nenhuma instância de processo em execução se tornar inválido, seu modo será alterado para Rascunho (de Ativo).
  • Se um processo com instâncias de processo em execução se tornar inválido, seu modo será alterado para Em espera (de Ativo).
Regras de validação no nível da etapa.
As regras de validação no nível da etapa são usadas para validar as propriedades internas da etapa. Se um subprocesso não for validado e ativado, seu processo principal não poderá ser validado e ativado. Os subprocessos inválidos exigem uma validação separada. As seguintes regras são aplicadas durante o processo de validação da etapa:
  • Existem objetos que são mencionados na etapa. Nomes de objeto são exclusivos em um contexto de etapa.
  • As expressões de pré-condição são válidas (ou seja, a sintaxe está correta e os objetos e os atributos de objeto mencionados na expressão existem).
  • As expressões de pós-condição são válidas (ou seja, a sintaxe está correta e os objetos e os atributos de objeto mencionados na expressão existem).
  • As expressões de pós-condição não estão vazias quando há várias condições.
  • A quantidade de pós-condições e de etapas Ir para é consistente com o tipo de divisão.
  • O subprocesso chamado a partir de uma ação da etapa é válido e está ativo.
  • Se a etapa tiver uma ação manual, será preferível uma pós-condição com base no tempo decorrido do item de ação.
  • Uma expressão não vazia possui uma etapa "ir para" correspondente.
  • O objeto que é mencionado em uma ação de sistema existe (ou seja, se um objeto é excluído de um processo ou do Studio, as etapas que contêm a ação do sistema são invalidadas).
  • A operação do objeto em uma ação do sistema é válida (ou seja, se um atributo de objeto é excluído do Studio, as etapas que contêm as ações do sistema que fazem referência ao atributo do objeto são invalidadas).
Visualizar e corrigir erros em tempo de execução
Siga estas etapas:
  1. Abra o menu Processos e clique em Iniciado.
  2. Na coluna Mensagens, passe o cursor sobre o ícone para exibir uma descrição do erro para cada instância do processo.
  3. Clique no ícone do erro.
  4. Leia a mensagem de erro e corrija o problema, conforme mostrado a seguir:
    • Para executar uma etapa novamente, selecione a etapa e clique em Nova tentativa.
    • Para ignorar a etapa associada a erro ou aviso, selecione-a e clique em Problema de salto.
      Quando você ignora um erro de tempo de execução, podem ocorrer resultados inesperados. Por exemplo, o processo pode seguir por outro caminho e não ser concluído conforme o esperado. Como alternativa, o processo não pode continuar, pois a próxima etapa do processo está aguardando que essa etapa seja concluída.
    • Para excluir o erro de tempo de execução ou o aviso, selecione a etapa associada ao erro ou aviso e clique em Excluir.
    • Para cancelar o processo sem corrigir os erros, clique em Cancelar processo.
Erro de manipulação no nível da ação
Quando as etapas têm diversas ações e ocorre um erro em tempo de execução, o sistema identifica o erro no nível de ação. Você pode tratar o erro das seguintes maneiras:
  • Você pode corrigir o erro.
  • Você pode repetir a ação na página de mensagens do processo iniciado. A ação com o erro é executada novamente nos novos destinatários do item de ação.
  • Você pode ignorar a instância de ação que contém o erro. O sistema ignora a ação com um erro e executa a próxima ação na lista.
Direitos de acesso a processos
Exibir os direitos de acesso do processo de um recurso
Siga estas etapas:
  1. Abra o processo.
  2. Abra o menu Acesso a este processo e clique em Visualização total.
  3. Visualize os recursos com acesso ao processo.
Conceder direitos de acesso ao processo a um recurso
Siga estas etapas:
  1. Abra o processo.
  2. Abra o menu Acesso a este processo e clique em Unidade de ORG.
    As unidades de ORG com a página de acesso serão exibidas listando os recursos com direitos de acesso ao processo.
  3. Clique em Adicionar e selecione os direitos de acesso a serem atribuídos ao recurso.
  4. Clique em Adicionar e continuar.
  5. Selecione os recursos que receberão os direitos de acesso.
  6. Clique em Adicionar.
Conceder direitos de acesso ao processo a um grupo
Siga estas etapas:
  1. Abra o processo.
  2. Abra o menu Acesso a este processo e clique em Grupo.
    A página Grupos com acesso será exibida, trazendo os grupos com direitos de acesso ao processo.
  3. Clique em Adicionar e selecione os direitos de acesso a serem atribuídos ao grupo.
  4. Clique em Adicionar e continuar.
  5. Selecione o grupo para conceder os direitos de acesso.
  6. Clique em Adicionar ou em Adicionar e selecionar mais.
Conceder direitos de acesso a uma unidade ORG
Siga estas etapas:
  1. Abra o processo.
  2. Abra o menu Acesso a este processo e clique em Unidade de ORG.
  3. Clique em Adicionar.
  4. Selecione os direitos de acesso a serem atribuídos à unidade ORG e clique em Adicionar e continuar.
  5. Selecione a unidade de ORG que receberá os direitos de acesso.
  6. Clique em Sair.
Monitorar os mecanismos do processo
Se uma área específica do mecanismo do processo precisar de mais investigação, você poderá exibir os dados de pipeline para avaliar seu desempenho.
Siga estas etapas:
  1. Abra Administração e, em Administração de dados, clique em Mecanismos de processo.
  2. Revise as métricas exibidas nos seguintes campos:
    • Nome
      Nome do mecanismo de processo. Clique no nome para exibir os detalhes de pipeline do mecanismo de processo.
    • Processos ativos
      Quantidade de processos ativos. Clique no valor para detalhá-lo e exibir uma lista de todas as instâncias do processo iniciadas em execução no mecanismo.
    • Processos concluídos
      Quantidade de processos concluídos. Os processos concluídos fornecem informações sobre a eficácia e a atividade do mecanismo. Clique no valor para detalhá-lo e exibir uma lista de todas as instâncias do processo concluídas em execução no mecanismo.
    • Último sinal de monitoramento
      Data e hora do último sinal de monitoramento indicando se a instância do mecanismo de processo está ativo e em execução.
    • Data de início/Data final
      Data e hora em que a instância do mecanismo de processo foi iniciada e quando foi encerrada ou interrompida.
    • Erros processados
      Quantidade de erros de processo que ocorreram em todas as instâncias de um mecanismo de processo. Clique no valor para detalhá-lo e exibir a lista das instâncias do processo que possuem erros e estejam em execução no mecanismo.
    • Status
      Indica se a instância do mecanismo de processo está em execução, se foi interrompida ou se não pode ser determinada.
    • Carga total
      Porcentagem do tempo do mecanismo que é usado para processamento.
    • Último instantâneo carregado
      Exibe a porcentagem de tempo do mecanismo na última janela de tempo que é usada para processamento. Uma janela de tempo é um intervalo que é influenciado por vários fatores, como a carga em cada mecanismo.
    • Pré-condição/Pós-condição/Execução de ação
      Tamanho da fila de pré-condições, pós-condições e pipelines de ação, bem como o total de carga dos pipelines.
      Esse valor dá uma ideia de quão ocupado está cada pipeline.
Ao monitorar um mecanismo de processo em relação a afunilamentos, verifique o comprimento da fila de pipelines. Observe o tempo que leva para processar as etapas entre os pipelines. Os processos na fila de pipeline são atualizados a cada 30 segundos.
Vídeo: monitoramento do mecanismo de processo
O vídeo a seguir foi fornecido pela CA Technologies. O monitoramento do mecanismo de processo é uma estrutura leve que rastreia as consultas periódicas procurando por processos problemáticos em execução em um ambiente. Nesse vídeo, você aprenderá sobre o recurso Monitoramento do mecanismo de processo do
Clarity PPM
.

Para reproduzir esse vídeo em tela cheia, clique no logotipo do YouTube à direita das Configurações, na parte inferior do vídeo.
Tipos de pipeline de mecanismo de processo
Os mecanismos de processo usam os seguintes tipos de pipeline:
  • Processos carregados.
    Exibe a quantidade de processos ativos atualmente carregados neste mecanismo de processo. Os processos ativos incluem os processos com os status Em execução, Erro e Anulando, mas não com os status Concluído ou Anulado. Este pipeline só é exibido na seção Filas internas do mecanismo.
  • Lista de espera de eventos.
    Exibe a quantidade de instâncias de etapa que atualmente estão aguardando por eventos, como uma ação do usuário para salvar uma alteração no produto. Para os eventos registrados na Lista de espera de eventos, as instâncias da etapa são enviadas para a fila de pré-condição ou para a fila de transição de pós-condição.
    Os mecanismos de processo registram apenas os eventos em que estão interessados. Por exemplo, o mecanismo está processando uma pós-condição de um projeto ativo para ir para a próxima etapa. O mecanismo faz o registro para o evento Atualização do projeto. O pipeline é exibido apenas na seção Filas internas do mecanismo.
  • Lista de espera de novas tentativas.
    Exibe o número de instâncias de etapa que estão aguardando para serem repetidas. Quando um mecanismo de processo processa uma instância de etapa, o mecanismo pode ser executado em bloqueios do banco de dados. Quando ocorrem bloqueios de banco de dados, o mecanismo coloca essas instâncias de etapas na Lista de espera de novas tentativas. Este pipeline só é exibido na seção Filas internas do mecanismo.
  • Pré-condição.
    Exibe o tamanho da fila de acordo com o número de instâncias da etapa no estado Pronto para avaliar a condição anterior. Um pipeline de pré-condição processa as instâncias da etapa.
  • Execução de ação.
    Exibe o tamanho da fila de acordo com a quantidade de instâncias de etapa no estado Pronto para executar a ação. Um pipeline Execução da ação deve processar essas instâncias da etapa.
  • Transição de pós-condição.
    Exibe o tamanho da fila de acordo com o número de instâncias da etapa no estado Pronto para executar a pós-condição. As pós-condições estão aguardando para continuar por meio de um pipeline de transição de pós-condição.
Exibir filas internas do mecanismo de processo
A página Filas internas do mecanismo fornece informações sobre o status das filas internas e o número de pipelines (se aplicável) de um mecanismo de processo. As filas internas do mecanismo podem ter os seguintes estados:
  • Ícones Status de execução.
    Indica se o mecanismo de processo está funcionando.
  • Carga total.
    Exibe a porcentagem de carga de processamento de todas as filas internas.
  • Último instantâneo carregado.
    Exibe a porcentagem de tempo do mecanismo na última janela de tempo usada no processamento. Uma janela de tempo é um intervalo que é influenciado por vários fatores, como a carga em cada mecanismo.
  • Hora de início.
    Especifica a hora em que o mecanismo foi iniciado.
  • Tempo de processamento total.
    Especifica o tempo total que o mecanismo usou para o processamento, desde a hora de início do mecanismo.
  • Tipos de fila.
    Exibe os nomes dos tipos de fila na infraestrutura de gestão do processo. Os únicos tipos de fila que você pode configurar são as filas de pré-condição, ação e pós-condição.
  • Comprimento da fila.
    Exibe o número de solicitações pendentes no momento para esse tipo de fila.
  • Quantidade de pipelines.
    Exibe a quantidade de pipelines configurados para cada tipo de fila.
Gerenciar a quantidade de pipelines nas filas
Você pode adicionar mais pipelines para reduzir os gargalos nas filas de pipeline ou remover os pipelines de cada fila. Você pode ter até cinco pipelines por fila.
Siga estas etapas:
  1. Abra o mecanismo de processo para adicionar os pipelines.
  2. Clique em Configurar pipelines.
  3. Selecione a quantidade de pipelines para cada um dos seguintes tipos de fila:
    • Quantidade de pipelines de pré-condição
    • Quantidade de pipelines de execução de ação
    • Quantidade de pipelines de pós-condição
  4. Clique em Salvar e continuar.
Executar etapas de processo que estão aguardando por eventos
É possível executar imediatamente as etapas do processo que estão aguardando na fila da Lista de espera de eventos.
Siga estas etapas:
  1. Abra o mecanismo de processo.
  2. Clique em Executar etapas de espera do evento.
    As etapas de espera do processo são colocadas na fila de pipeline de pré-condição ou na fila de pipeline de transição de pós-condição.
Exibir mensagens de evento de processo
A página de eventos permite exibir mensagens de evento de todo o sistema em todos os mecanismos de processo. Você pode exibir as mensagens de eventos que são recebidas ou enviadas. Um exemplo de um evento é quando você cria ou atualiza um objeto.
Siga estas etapas:
  1. Abra Administração e, em Administração de dados, clique em Mecanismos de processo.
  2. Clique em Eventos.
  3. Visualize as informações a seguir sobre os últimos 20 eventos recebidos ou enviados:
    • Tipo de evento
      Tipo de evento.
      Exemplo:
      Objeto - Criar ou Objeto - Atualizar.
    • Categoria de evento
      Componente de processo em que o evento está acontecendo, como uma etapa, uma ação de etapa ou as propriedades do processo.
    • Iniciador de evento
      Área do sistema de processos em que o evento foi iniciado. O iniciador pode ser um processo, um modelo de processo ou qualquer outra área do produto.
    • Recebido/enviado
      Data e hora em que o evento foi recebido ou enviado.
    • Recurso
      Recurso que está envolvido no evento. Por exemplo, o iniciador de processo, o recurso tentando novamente uma instância de etapa, um aprovador de um item de ação.
    • Mecanismo de processo
      Mecanismo de processo para a visualização de mensagens de evento.
Modelos de notificação em nível de definição do processo
Use a página de modelos de notificação de definição do processo para visualizar uma lista dos modelos de notificação do processo. Você pode editar os seguintes tipos de modelos de notificação de definição de processo:
  • Escalonamentos de processos
  • Ações do sistema
  • Ações manuais
  • Ações de script
  • Ações de subprocessos
  • Ações de rotinas
  • Escalonamentos de etapas
Siga estas etapas:
  1. Com o processo aberto, clique em Notificações.
  2. Verifique os seguintes campos de notificação:
    • Nome
      Define o nome exclusivo do modelo de notificação.
    • Descrição
      Define a descrição do modelo de notificação.
    • Modificado
      Especifica se o conteúdo do modelo de notificação é modificado a partir das configurações padrão do modelo. Os modelos de notificação modificados são exibidos na lista com um ícone de marca de seleção amarela.
Configurar um modelo de notificação
Você pode configurar os modelos de notificação adicionando e removendo marcas de atributo e links para o assunto e corpo da mensagem do modelo de notificação. Use a página de propriedades da notificação para editar o assunto e o corpo do modelo de notificação.
Você pode modificar os modelos de notificação de processo no nível do sistema e no nível de definição do processo. Se você modificar um modelo no nível do sistema, essas alterações serão aplicadas automaticamente aos modelos de notificação correspondentes no nível de definição do processo. As alterações não se aplicam aos modelos de notificação que você configurou explicitamente. Se você modificar um modelo no nível de definição do processo, essas alterações serão aplicadas automaticamente ao modelo de notificação no nível do sistema. As alterações também se aplicam a todas as instâncias de modelo de notificação de processo correspondentes a esse processo.
Se você estiver exportando informações do processo usando o XML Open Gateway, nenhuma modificação feita no modelo de processo no nível da instância será exportado com as informações do processo. Use os arquivos XML de leitura e gravação da notificação de processo para exportar e importar as informações de notificação separadamente.
Adicionar variáveis de atributo ao assunto do modelo de notificação do processo
Você pode editar os campos Assunto da notificação e Corpo da notificação para alterar o texto que o produto exibe neles.
Siga estas etapas:
  1. Com o processo aberto, clique em Notificações.
  2. Clique no nome do modelo de notificação.
  3. Selecione e adicione variáveis de atributo aos campos Assunto da notificação ou Corpo da notificação.
  4. Salve as alterações.
Adicionar links ao corpo do modelo de notificação do processo
Você pode adicionar um hiperlink para ser exibido no corpo de uma notificação modificando o modelo de notificação do processo.
Não é possível adicionar os seguintes caracteres especiais ao texto do hiperlink: $ [ ] @
Siga estas etapas:
  1. Com o processo aberto, clique em Notificações e, em seguida, clique no nome do modelo de notificação.
  2. No campo Corpo da notificação, clique no ícone Procurar e, em seguida, clique em Links.
  3. Selecione e adicione o link no corpo do modelo de notificação do processo, conforme mostrado a seguir:
    • Deixe o texto padrão no campo Texto do link para exibir o texto como hiperlink no corpo do modelo. Por exemplo: "Para acessar esse processo,
      clique aqui
      ".
    • Limpe o campo Texto do link para usar o URL padrão como hiperlink no corpo do modelo. Por exemplo: "Para acessar esse processo, clique em:
      <URL>
      ".
    • Limpe o texto padrão do campo Texto do link e digite o texto a ser exibido como um hiperlink no corpo do modelo. Por exemplo: "Para acessar esse processo, clique em:
      processo de aprovação
      ".
    O hiperlink adicionado é anexado ao texto no campo.
  4. Salve as alterações.
Visualizar um modelo de notificação do processo
Você pode visualizar como uma instância do modelo de notificação do processo será exibida quando um recurso recebê-la.
Siga estas etapas:
  1. Com o processo aberto, clique em Notificações.
  2. Clique no nome do modelo de notificação.
  3. Clique em Visualização.
  4. (Opcional) É possível restaurar modelos de notificação modificados para os valores padrão. A página Modelos de notificação indica os modelos de notificação modificados com uma marca de seleção na coluna Modificado. Para restaurar o modelo de notificação, abra-o e clique em Restaurar padrões.