CSA: manter e monitorar o Clarity PPM (somente no local)

ccppmop158
Inicie e interrompa os serviços, abra portas do servidor, desative o snooping IGMP, execute um relatório de integridade, verifique arquivos de log, faça backup da sua instalação do
Clarity PPM
e restaure-a, compile objetos do banco de dados Oracle, defina o tamanho do diretório de arquivos e defina as restrições da marca GEL.
2
Iniciar e interromper os serviços
Siga estas etapas:
  1. Efetue logon na CSA.
  2. Clique em Página inicial, Todos os serviços.
  3. Marque a caixa de seleção ao lado de cada serviço que você deseja iniciar ou interromper.
  4. Para iniciar os serviços, clique em Iniciar.
  5. Para interromper os serviços, clique em Parar.
Abrir portas de servidor
O
Clarity PPM
requer várias portas de rede abertas para comunicações cliente-servidor e servidor-servidor. Muitas vezes, as portas ficam fechadas por padrão, ou são bloqueadas por firewalls por motivos de segurança. Todas as portas selecionadas durante a instalação ou configuração devem estar abertas.
Abra as portas necessárias, consultando a documentação do sistema operacional ou firewall. As informações a seguir apresentam o valor padrão, o tipo e a descrição de cada porta utilizada no
Clarity PPM
.
Em sistemas UNIX, os números de porta abaixo de 1024 geralmente são reservados para o usuário raiz.
Melhor prática
: se estiver usando um firewall de software, especifique uma exceção no nível do executável e não no nível da porta. Esta ação garante que as portas dinâmicas alocadas fiquem abertas para a devida comunicação de transmissão múltipla. Consulte as
portas efêmeras
, na lista a seguir, para obter mais informações.
  • 80 ou 443
    Define o número da porta HTTP ou HTTPS que o serviço padrão do aplicativo
    Clarity PPM
    usa.
    Tipo
    : cliente para o servidor de aplicativos do
    Clarity PPM
  • 8090
    (Somente servidor de aplicativos Apache Tomcat) Define o número da porta HTTP que a CSA usa.
    Tipo
    : cliente para o servidor de aplicativos do
    Clarity PPM
  • 1433 (MS-SQL) ou 1521 (Oracle)
    Define o número da porta JDBC usada para estabelecer comunicação com o banco de dados.
    Tipo:
    servidor para o servidor de banco de dados
  • 23791
    (Somente servidor de aplicativos Apache Tomcat) Define o número da porta RMI que o serviço do aplicativo
    Clarity PPM
    usa.
    Tipo
    : servidor para o servidor de aplicativos do
    Clarity PPM
  • 23792
    (Somente servidor de aplicativos Apache Tomcat) Define o número da porta RMI que a CSA usa.
    Tipo
    : servidor para o servidor de aplicativos do
    Clarity PPM
  • 9090
    Define o número da porta de Transmissão múltipla que a CSA usa.
    Tipo
    : servidor para o servidor de aplicativos do
    Clarity PPM
  • 9091
    Define o número da porta RMI usado pelo serviço de Beacon.
    Tipo
    : de servidor para servidor
  • Portas efêmeras
    Define o intervalo de portas efêmeras (de curta duração). Por padrão, todos os sistemas operacionais especificam um intervalo de portas efêmeras. O intervalo BSD tradicional é de 1024 a 4999, embora a IANA (Internet Assigned Numbers Authority) sugira de 49152 a 65535. O intervalo varia entre os sistemas operacionais, e é possível desativá-lo. É possível usar quaisquer valores de intervalo de no
    Clarity PPM
    . No entanto, você deve ativar um intervalo. Isso ocorre principalmente para que a transmissão múltipla funcione.
    Tipo:
    servidor para o servidor
Snooping IGMP
Para que o tráfego de transmissões múltiplas seja estabelecido corretamente com os switches Ethernet Cisco Catalyst, desative o snooping IGMP (ou ative ambos, o snooping IGMP e o pesquisador IGMP) para a VLAN à qual pertencem os servidores do
Clarity PPM
. Anteriormente, a transmissão múltipla de IPs era tratada da mesma forma que a difusão de IPs, então os comutadores Ethernet despejavam o tráfego de transmissões múltiplas em todas as interfaces. Por padrão, os switches Cisco Catalyst fazem a abordagem oposta e não despejam o tráfego de transmissão múltipla em todas as interfaces.
Com o snooping IGMP, os switches de camada 2 podem tomar decisões inteligentes de encaminhamento de transmissão múltipla examinando o conteúdo do cabeçalho 3 IP de cada camada de quadro. O switch mantém uma lista de grupos multicast de modo a entregar somente pacotes multicast para interfaces que pertencem a um determinado grupo.
Executar relatórios de integridade
As guias, os botões e as opções do relatório de integridade da CSA foram removidos da release 15.3. Consulte Executar um relatório de integridade.
Consultar os arquivos de registro
Verifique os arquivos de log quando ocorrer um problema de instalação, atualização ou uso para obter uma explicação e solucionar problemas. Por padrão, o
Clarity PPM
grava apenas as mensagens de erro nos arquivos de registro. Se o Suporte técnico da CA estiver ajudando você em um chamado, é possível que solicitem que você configure o sistema para que ele exiba mensagens de depuração detalhadas. Por padrão, os arquivos de registro são armazenados no diretório de registros, no diretório local do
Clarity PPM
. Cada servidor tem o seu próprio diretório de registros. Você também pode selecionar um diretório de registros alternativo na CSA.
Você pode usar um editor de texto para ver os arquivos de registro. Se você tiver um agrupamento de servidores do
Clarity PPM
, cada arquivo de registro é exclusivo de um servidor. Você pode configurar os registros para adicionar mais detalhes, para atualizar ou remover entradas. É possível fazer com que as alterações na configuração dos arquivos de registro entrem em vigor imediatamente. Do contrário, você terá de reiniciar os serviços do aplicativo
Clarity PPM
(app) e de segundo plano do
Clarity PPM
(bg) antes que as alterações entrem em vigor.
A tabela a seguir contém a lista de arquivos de registro comuns e padrão. Para cada registro, são listados o nome do arquivo, o formato e o conteúdo.
Cada instância duplicada de um serviço tem seus próprios arquivos de registro. Por exemplo, app2, bg3 e assim por diante, têm um conjunto de arquivos de registro correspondente delineado por ID. A instância inicial de app e bg não tem uma ID.
Nome do arquivo de registro
Format
Conteúdo
admin.log
Texto sem formatação
Um registro das atividades administrativas. Essas atividades são orientadas por meio do comando
admin
ou por uma operação equivalente da CSA.
app{id}-access-{date}.log
Texto sem formatação
Atividade da sessão (solicitações de http/s) para o serviço em primeiro plano.
app{id}-bootstrap-ca.log
Texto sem formatação
Atividades de bootstrap de ODF, que ocorrem geralmente durante uma operação de atualização e aplicação de patches.
app{id}-ca.log
Texto sem formatação
O registro principal para todas as atividades no serviço em primeiro plano.
app{id}-dwh.log
Texto sem formatação
Atividade específica do data warehouse no serviço em primeiro plano.
app{id}-process-engine.log
Texto sem formatação
Eventos que são registrados pelo Monitor do mecanismo de processo no serviço em primeiro plano.
app{id}-system.log
Texto sem formatação
Saída no nível do sistema que é gravada diretamente no console (STDOUT) para o serviço em primeiro plano. Normalmente, essa saída consiste em mensagens de inicialização do serviço ou mensagens do sistema operacional.
beacon-system.log
Texto sem formatação
Saída no nível do sistema que é gravada diretamente no console (STDOUT) para o serviço do beacon. Normalmente, essa saída consiste em mensagens de inicialização do serviço ou mensagens do sistema operacional.
bg{id}-bootstrap-ca.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
bg{id}-ca.log
Texto sem formatação
O registro principal para todas as atividades do serviço em segundo plano.
bg{id}-dwh.log
Texto sem formatação
Atividade específica do data warehouse no serviço em segundo plano.
bg{id}-process-engine.log
Texto sem formatação
Eventos que são registrados pelo Monitor do mecanismo de processo no serviço em segundo plano.
bg{id}-system.log
Texto sem formatação
Saída no nível do sistema que é gravada diretamente no console (STDOUT) para o serviço em segundo plano. Normalmente, essa saída consiste em mensagens de inicialização do serviço ou mensagens do sistema operacional.
completion.log
Propriedades
Um registro das etapas de instalação ou atualização que tenham sido concluídas para cada componente. Não modifique este registro sem a assistência do Suporte da CA.
dbtools-bootstrap-ca.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
dbtools-ca.log
Texto sem formatação
Atividade do DBTools. DBTools é a ferramenta que modifica a entidades e dados do banco de dados durante um processo de atualização ou aplicação de patches.
dbtools-dwh.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
dbtools-process-engine.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
nsa-access-{date}.log
Texto sem formatação
Atividade da sessão (solicitações de http/s) para o serviço de administração do sistema.
nsa-bootstrap-ca.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
nsa-ca.log
Texto sem formatação
O registro principal para todas as atividades do serviço de administração do sistema.
nsa-dwh.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
nsa-process-engine.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
nsa-system.log
Texto sem formatação
Saída no nível do sistema que é gravada diretamente no console (STDOUT) para o serviço de administração do sistema. Normalmente, essa saída consiste em mensagens de inicialização do serviço ou mensagens do sistema operacional.
odf-bootstrap-bootstrap-ca.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
odf-bootstrap-ca.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
odf-bootstrap-dwh.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
odf-bootstrap-process-engine.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
upgrade-bootstrap-ca.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
upgrade-ca.log
Texto sem formatação
Mensagens dos scripts de atualização individuais do
Clarity PPM
que são executados durante um processo de atualização.
update-dwh.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
upgrade-process-engine.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
xogAdmin-bootstrap-ca.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
xogAdmin-ca.log
Texto sem formatação
Atividade do cliente XOG Admin. O cliente XOG Admin é a ferramenta que insere ou modifica os dados durante um processo de atualização ou aplicação de um patches.
xogAdmin-dwh.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
xogAdmin-process-engine.log
Vazio
Esse arquivo é gerado automaticamente, mas normalmente está vazio.
Editar a configuração do assistente de log
Os arquivos de registro
ca
são os principais. A maioria das informações que o produto registra vai para um desses arquivos. Isso inclui erros do sistema e mensagens informativas, como as mensagens de depuração. Você pode configurar quais mensagens de registro devem ser exibidas nos arquivos de registro ca.
Dois atributos de mensagem de registro importantes incluem:
  • Categoria
    Indica o local do produto do qual a mensagem foi registrada.
  • Nível
    Indica a gravidade da mensagem.
Você pode ajustar a configuração do assistente de log para filtrar as mensagens de registro de acordo com a categoria e o nível. O produto reporta todas as mensagens que se enquadram na categoria com.ca com nível de erro ou superior (Fatal). Você pode adicionar categorias extras com as informações ou pode adicionar níveis de depuração para obter mais informações ao solucionar um problema.
Se houver mais de um serviço de segundo plano (bg) do
Clarity PPM
em execução e você tiver ativado a depuração para solucionar um problema dessa natureza no
Clarity PPM
, será útil desativar todos os serviços, exceto o que está configurado para depuração. Este processo garante que todas as rotinas ou processos passem por esse serviço de segundo plano (bg) do
Clarity PPM
e gerem as mensagens de depuração desejadas. Reinicie o serviço de segundo plano (bg) do
Clarity PPM
para que as alterações entrem em vigor e, em seguida, verifique o arquivo de registro (bg-ca.log).
Siga estas etapas:
  1. Efetue logon na CSA.
  2. Clique em Página inicial, Servidores.
  3. Para editar as informações do registro, clique no ícone Propriedades do servidor.
  4. Clique na guia Registros.
  5. Clique na subguia Editar configuração.
  6. Na seção Propriedades, preencha os seguintes campos:
    • Detectar alterações de configuração de registro automaticamente
      Indica se as alterações na configuração do registro entram em vigor imediatamente. Marque esta caixa de seleção para que as alterações feitas entrem em vigor imediatamente. Essa opção se aplica aos serviços de segundo plano (bg) do
      Clarity PPM
      e de aplicativo (app) do
      Clarity PPM
      que estão em execução no Apache Tomcat.
      Se você selecionar essa opção, reinicie todos os serviços afetados para garantir que a alteração entrará em vigor.
    • Diretório de registros alternativos
      Define o diretório de registros alternativos para este servidor. Este deve ser um caminho absoluto válido para um diretório no servidor. Por exemplo, /niku/logs (Unix) ou E:\logs (Windows).
    • Limite padrão do rastreamento (segundos)
      Especifica o limite básico pelo qual são gravadas informações de rastreamento de uma dada solicitação. Esse valor substitui os níveis de categoria logger.xml.
  7. Na seção Logon no sistema, preencha os seguintes campos:
    • O número máximo de logs do sistema (por serviço)
      Indica a quantidade de arquivos de registro do sistema a serem mantidos para cada serviço. Alterar esse valor requer a reinicialização dos serviços. O valor padrão é cinco.
    • Tamanho máximo de cada registro do sistema
      Indica o tamanho dos arquivos de registro do sistema para cada serviço, em megabytes. Alterar esse valor requer a reinicialização dos serviços. O valor padrão é 5 MB.
  8. Na seção Log do Kettle, preencha os seguintes campos:
    • Nível do log do Kettle
      Indica o nível de atividade desejado quando as rotinas Carregar data warehouse e Carregar direitos de acesso do data warehouse forem executadas. Os dados do registro são armazenados nos registros do data warehouse, na CSA.
      Valores
      : Nada, Erro, Mínimo, Básico, Detalhado ou Nível da linha.
  9. Na seção Log de persistência do mecanismo de processo, preencha os seguintes campos:
    • Nível do log de persistência do mecanismo de processo
      Indica o nível de atividade do log visto se você incluir a marca <gel:log> no script GEL do processo. Selecione os seguintes valores para configurar o tipo de mensagem visto em Página inicial, Organizador, página Processos - Iniciados:
      • Erro O valor padrão indica que apenas as mensagens com <gel:log level=ERROR> são exibidas como mensagens na UI. Recomendamos essa configuração para manter a tabela BPM_ERRORS pequena.
      • Aviso. O valor indica que as mensagens com <gel:log level=ERROR ou gel:log level=WARN> são exibidas como mensagens na UI
      • Info. O valor indica que todas as mensagens, incluindo aquelas sem nenhum nível de log, são exibidas como mensagens na UI.
  10. Na seção Limites de rastreamentos, clique em Adicionar limite e preencha os seguintes campos:
    • Limite (segundos)
      Especifica o número de segundos após o qual serão rastreadas as ações identificadas pelos padrões de ação. Um valor -1 significa que não há nenhum limite definido para as ações. Esse valor é útil para desativar limites de ações de longa duração.
    • Padrões
      Identifica as ações que são rastreadas quando o limite é excedido. Digite o padrão em um formato delimitado por vírgulas. Por exemplo: webRequest/npt.overview, xogRequest/XOG::project::read ou serviceRequest/*.
  11. Na seção Categorias, preencha os seguintes campos:
    • Nome/Outro nome
      Define a categoria a ser adicionada ou alterada. Selecione uma opção na lista suspensa. Para ativar uma categoria que não esteja nessa lista, digite a categoria no campo de texto Outro nome.
    • Appender
      Direciona a saída do registro para outro destino. Para direcionar uma categoria a um arquivo à parte, adicione um novo appender STDOUT com nome de arquivo exclusivo e associe a categoria ao novo appender.
    • Prioridade
      Define o nível de depuração. Quanto mais alto o nível, maior a prioridade.
      Valores:
      • Fatal. Indica que um serviço crítico não está em execução.
      • Erro Indica que há um problema que pode restringir funções do sistema.
      • Aviso. Indica que o
        Clarity PPM
        encontrou um problema, mas continua em execução.
      • Info. Indica o status do sistema (como início do serviço) e nem sempre indica um problema.
      • Depurar. Exibe informações detalhadas que ajudam a você ou o Suporte técnico da CA a resolver um problema.
      • Rastrear. Exibe informações técnicas de nível baixo. Esse nível produz grandes volumes de dados. Use esse valor somente quando solicitado pelo Suporte técnico da CA.
      • Tudo. Exibe todas as mensagens.
    • Aditivo
      Indica se novas mensagens são acrescentadas aos registros. Para anexar mensagens, marque essa caixa de seleção. Se essa caixa de seleção estiver desmarcada, por vezes os registros podem ser substituídos por novas informações.
  12. Salve as alterações.
  13. Reinicie os serviços afetados.
O registro pode reduzir o desempenho do sistema, principalmente atividades com prioridades altas, como Depurar e Rastrear. Só ative o registro adicional quando for necessário ou quando você for instruído a fazê-lo pelo Suporte técnico da CA. Desative o registro adicional assim que ele não for mais necessário.
Registro específico do usuário
Você pode ativar algumas categorias de log para usuários específicos. Para ativar o registro para um usuário específico, anexe o nome do usuário ao final da categoria de registro padrão. Por exemplo,
trace.server.user.jsmith
ativa o registro de desempenho do servidor para o usuário jsmith. A palavra-chave user indica que o último segmento da categoria é o nome de usuário. O nome do usuário é usado como um filtro para registrar eventos na categoria. Nesse caso, a categoria trace.server. As alterações nas configurações de registro do SQL para um usuário específico só entram em vigor quando o usuário efetua logon. Portanto, o usuário deve efetuar logon novamente após cada alteração de configuração de registro específicas do usuário.
Rastreamento de ação
Faça o Rastreamento de ação (anteriormente conhecido como o Rastreamento do SQL) somente quando solicitado e sob orientação do Suporte técnico do
Clarity PPM
. Execute esta atividade apenas por curtos períodos para solucionar ações específicas. Depois disso, o Rastreamento de ações deve ser desativado.
Vídeo: Ativação do rastreamento do SQL
O vídeo a seguir foi fornecido pela CA Technologies.

Para reproduzir esse vídeo em tela cheia, clique no logotipo do YouTube à direita das Configurações, na parte inferior do vídeo.
Fazer backup de uma instalação do
Clarity PPM
Sempre que planejar atualizações importantes no sistema de produção, faça backup do sistema atual para poder restaurá-lo. Para armazenar o backup do banco de dados, use o diretório de backup.
Siga estas etapas:
  1. Efetue logon na CSA e verifique se todos os serviços foram interrompidos, exceto o banco de dados. Se o serviço de banco de dados não estiver instalado, não se preocupe.
  2. Abra uma linha de comando no servidor de aplicativos CSA e execute o seguinte comando:
    admin backup
  3. Para aceitar os valores padrão, pressione Enter.
    O comando de backup copia o diretório de instalação do
    Clarity PPM
    em um diretório de backup.
Fazer backup de um banco de dados Oracle
Siga estas etapas:
  1. Na linha de comando do servidor de banco de dados, use o
    expdp
    do utilitário de exportação de banco de dados Oracle.
    Consulte a documentação do Oracle para obter as etapas detalhadas sobre como usar este utilitário. O exemplo a seguir mostra um comando de exportação:
    expdp clarity/password FULL=y DIRECTORY=data_pump_dir DUMPFILE=clarity.dmp LOGFILE=myclarityexp.log SCHEMAS=clarity
  2. Copie os arquivos .dmp e init<SID>.ora no diretório de backup que foi criado pelo comando de backup.
Fazer backup de um banco de dados Microsoft SQL Server
Fazer backup de um banco de dados do Microsoft SQL usando o SQL Server Enterprise Manager. Consulte a documentação da Microsoft para obter detalhes.
Restaurar uma instalação do
Clarity PPM
A operação para restaurar uma instalação usa o backup do sistema de arquivos e do banco de dados, que foi feito antes do início do processo de atualização.
Melhor prática
: restaure uma instalação do
Clarity PPM
somente depois de ter esgotado todas as demais opções.
Siga estas etapas:
  1. Na linha de comando, interrompa todos os serviços.
    service stop all
  2. Restaure o banco de dados usando as ferramentas de gerenciamento de banco de dados padrão e o backup que foi realizado antes de iniciar o processo de atualização.
  3. Restaure o
    Clarity PPM
    usando o script de restauração do diretório de backup:
    (
    Windows
    )
    restore.bat
    (
    Unix
    )
    restore.sh
    Consulte
    Fazer backup de uma instalação do
    Clarity PPM
    .
  4. Quando concluído, reinicie todos os serviços:
    service start all
  5. (Opcional) Reinstale os relatórios mais antigos.
    Consulte a seção
    Instalando e atualizando
    , correspondente à versão para a qual você instalou os relatórios.
Compilar e analisar objetos existentes do banco de dados Oracle
Compile e analise o banco de dados nas seguintes circunstâncias:
  • Ao exportar e importar o banco de dados para outro servidor para executar atualizações de teste
  • Ao reorganizar o banco de dados no servidor de produção
A compilação e análise garantem que todos os objetos do banco de dados serão válidos. Se os objetos do banco de dados não forem compilados antes de atualizar o esquema do
Clarity PPM
, podem ocorrer falhas na atualização.
Siga estas etapas:
Abra uma linha de comando no servidor de aplicativos CSA e execute os seguintes comandos:
admin db compile admin db analyze
Os objetos do banco de dados são compilados e analisados.
Definir o tamanho do diretório de arquivos
Na CSA, você pode especificar um limite de tamanho para o armazenamento de arquivos no nível de diretório. Se um limite é especificado, uma nova pasta irmã é criada automaticamente para armazenar os arquivos subsequentes quando o limite é alcançado. O limite de tamanho também se aplica aos documentos importados para o
Clarity PPM
por meio do XML Open Gateway (XOG).
Definir o limite de tamanho do diretório não afeta o tamanho de pastas já existentes.
Siga estas etapas:
  1. Efetue logon na CSA.
  2. Abra Início e clique em Servidores.
  3. Clique em um nome de servidor.
  4. Clique na subguia Documentos e pesquisa.
  5. Na seção Opções do Gerenciador de documentos, no campo Limite de tamanho do diretório filestore, especifique o limite de tamanho do arquivo de armazenamento de um diretório.
Definir restrições de marca GEL
Para controlar a restrição de marca GEL, use os seguintes comandos:
admin general restrict-gel-tags
Define o valor da propriedade gelTagRestriction como
on
.
admin general allow-gel-tags
Define o valor da propriedade gelTagRestriction como
off
.
A propriedade gelTagRestriction é mencionada para determinar se as marcas GEL são restritas. A propriedade está no elemento do sistema. O elemento é opcional.
Use os valores
on
ou
off
para definir as restrições de marca GEL para o ambiente. Especificar qualquer valor diferente de
off
ativará a restrição da marca GEL. Restrições de marca GEL são desativadas por padrão.
A alteração das restrições de marca GEL requer que você reinicie os serviços de aplicativo e segundo plano.
Exemplos
Arquivo Properties.xml sem a restrição de marca GEL:
<system online="true" multiCurrency="false" licenseTypes="old" singleTenantMode="true"/>
<system online="true" multiCurrency="false" licenseTypes="old" singleTenantMode="true" gelTagRestriction="off"/>
Arquivo Properties.xml com as marcas GEL restritas:
<system online="true" multiCurrency="false" licenseTypes="old" singleTenantMode="false" gelTagRestriction="on"/>